Ubuntu Notícias

Administradora Lucélia Muniz

Nova Olinda-CE

Meu chão cearense

Dica de Leitura

"A leitura de um bom livro alimenta a alma e engrandece nossas emoções"

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pizzaria Paulistana

Serviço
Venda de pizzas todas com borda recheada com catupiry, pizzas doces, porções, bebidas, sucos, lanches e hambúrgueres acompanhados de fritas.
Entrega gratuita.

Horário de Funcionamento
A pizzaria Paulistana fica aberta de segunda-feira a segunda-feira das 18:00hs às 00:00hs. 

Contatos
Jander e Sugny
(88) 9 9660-9246
(88) 9 9329-7350

Endereço
Rua Antonieta Lima S/N
Próximo ao parque de vaquejada
Nova Olinda-CE 

Redes Sociais
Página no Facebook

E-mail – sugnysuzette123@gmail.com

Mercadinho Sukita

Serviço
Gêneros alimentícios, bebidas (vinhos e champanhes), refrigerantes, água mineral, brinquedos, utilidades para o seu lar, material de limpeza, perfumaria e frios. Qualidade e preço baixo!

Horário de funcionamento
De segunda-feira à sábado das 06:30 às 19:00 horas. Com entregas a domicílio e atendimento de pedidos pelo telefone.

Contatos
(88) 9 9778 5022
(88) 9 9336 3058
(88) 9 9216 4200
Organização
Lisiana de Oliveira (Sukita)

Endereço
Avenida Perimetral Sul, 468
Bairro - Centro
Nova Olinda-CE 

Redes Sociais
Página no Facebook

E-mail – lisianaexaiana@hotmail.com

O Ubuntu Notícias chega a 400 likes na página do Facebook!

Agradeço aos leitores e seguidores do Ubuntu Notícias pelos 400 likes em nossa página no Facebook!
É muito gratificante tê-los como leitores e seguidores! Isso nos estimula a estar sempre buscando informação com qualidade e imparcialidade.
Agradeço a cada um por nos dá a credibilidade necessária ao desenvolvimento de um trabalho voltado a cidadania, educação e foco na política não partidária!
Somos 400 likes no Facebook!
Nos auxilie dando sugestões de matérias! Você também faz parte desse Portal de Comunicação feito especialmente para você!

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Filme – Documentário “Eu Não Sou Seu Negro” (I Am Not Your Negro)

Indicado ao Oscar 2017, “Eu Não Sou Seu Negro” é baseado no livro não finalizado do escritor americano James Baldwin e relata a história do movimento negro nos EUA a partir do assassinato de três grandes ícones: Malcolm X, Martin Luther King e Medgar Evers.

Trailer

Campanha pela saúde e recuperação de Rodrigo Morão!!!

O jovem novolindense Rodrigo Morão está hospitalizado desde que sofreu um acidente e seu estado de saúde é delicado! Peço a colaboração de todos para ajudar a família do mesmo, porque o tratamento é caro! Vamos ajudar esta família? Procurem a família de Rodrigo Morão e contribuam com a quantia que puderem! Pessoal vamos ajudar! Um gesto de solidariedade pode salvar uma vida!

Nuvem de fumaça escura invade ruas próximas a área urbana

Mais uma vez nos deparamos com uma nuvem escura de fumaça que invade a área urbana da cidade. Isso mesmo! Todos os anos infelizmente presenciamos a seguinte situação: fogo no lixão de Nova Olinda.

Será um incêndio criminoso? O que realmente está acontecendo uma vez que todos os anos vemos a mesma situação acontecer. Essa fumaça é extremamente prejudicial à saúde, principalmente para quem tem problemas respiratórios.

Outra questão é que o terreno que fica nos arredores do lixão está loteado e já existem algumas construções muito próximas a área do mesmo. Como fazer para resolver esta questão? Quais medidas podem e devem ser tomadas?

Numa época ensolarada como essa onde boa parte da vegetação se encontra seca, o fogo pode se alastrar e causar maiores danos. Que destino dá ao lixo de nosso município? Eis a questão!

Para conferir mais fotografias clique AQUI.

Autodisciplina e Indisciplina na sala de aula e na vida


Já ouviu falar em autodisciplina? O que é indisciplina para você? O que torna um aluno indisciplinado?

Estas questões são mais amplas que supomos, e sua discussão já foi assunto de muitos teóricos e filósofos da educação, porém sua solução envolve conceitos simples de autodisciplina, ou governo de si mesmo.
Mas o que é a autodisciplina?
Conforme o dicionário:
1. ato ou efeito de autodisciplinar-se.
2. capacidade de se impor disciplina.
É a capacidade de autogovernar-se no que refere-se as suas emoções, dominá-las visando alcançar um objetivo maior.

Quando pensamos em “ indisciplina na escola” logo vem à nossa mente aquela criança inquieta, agitada, que recusa-se a fazer algo que NÓS queremos.
E quando pensamos em “ disciplina” o que vem a nossa mente? O oposto: uma criança ou um jovem sentado, quietinho, concentrado no que NÓS queremos que ele faça.
Nos dois casos vemos a disciplina ou indisciplina como algo externo à pessoa, sempre atrelado ao ambiente que a cerca. Muitas vezes acreditamos que a disciplina tem a ver com o ambiente e por esta razão, achamos que basta organizar o meio ambiente para que a disciplina ocorra.
Isso é um erro! Pois enquanto os ambientes são controláveis, as pessoas que estão nele não são. Não cabe a NÓS controlá-las, mas ensiná-las a ter autogoverno de si mesmas.

O Autogoverno é uma regulação interna que precisamos ter de nós mesmos e das nossas emoções.  Não podemos nos deixar ser guiados por nossas emoções pois isso nos torna vulneráveis aos revezes das situações e circunstâncias.
Sem a autodisciplina ficamos à deriva das circunstâncias, pois nossas emoções são “burras”, sem medida ou limites. As emoções não medem causa e consequências pois quem faz isso é a razão.

Para que venhamos a desenvolver a autodisciplina devemos trabalhar o conceito de causa/consequência, os resultados que esperamos alcançar e isso nos conduz a outros tipos de comportamentos e sentimentos. Ficamos mais centrados e o ambiente não tem mais força para nos tirar do eixo.

A autodisciplina é algo que pode, e deve, ser aprendido, mas para isso a criança ou o jovem devem ser ajudados a superar as frustrações, a controlar ímpetos egoístas e imediatistas de ter algo a qualquer custo e a qualquer hora.

Neste sentido, no lugar do imediatismo e descontrole emocional que acaba resvalando na dita “ indisciplina”, deve ser almejado desenvolver e nutrir a resiliência que devemos ter frente a vida e as situações que nos serão apresentadas no dia a dia.
Infelizmente as crianças e os jovens de hoje estão crescendo com graves aleijões emocionais, deformados no seu autogoverno, pequenos na sua resiliência, pois são incapazes de gerir a própria vida e tornarem-se pessoas completas. Aleijões emocionais tornam-se ao longo da vida aleijões sociais.

Sofremos na sala de aula quando recebemos crianças e jovens sem senso de autogoverno ou autodisciplina. Geralmente as famílias acham que a criança desenvolverá isso sozinha e a deixa à mercê do próprio ambiente que cuidará desta questão, outras vezes a família está contribuindo para que estas situações sejam potencializadas, pois em muitos casos a própria família é o problema e na falta de um modelo saudável a criança ou o jovem tem como modelo uma família disfuncional.

Boa parte das crianças e jovens que chegam até nossas salas de aula não sabem o que é ser resiliente ou ter o governo de si mesmas. Cabe a nós, Educadores ajudá-las em fornecer os elementos, estratégias e recursos para que esses jovens desenvolvam e sejam estimulados a crescer enquanto pessoas completas por meio do conhecimento e autodisciplina de suas emoções.

A Autodisciplina na Escola:
Autodisciplina e Trabalho em Grupo
Propiciar trabalhos em grupos é uma boa alternativa para desenvolver e estimular a autodisciplina, já que em um grupo há regras sociais que precisam ser respeitadas. Como é intrínseco para o ser humano a busca da aceitação do outro, o fato de estar em um grupo possibilita que certas regras sejam internalizadas e haja um domínio das emoções e mudanças de comportamentos.

Autodisciplina e organização da rotina de tarefas
O Professor pode contribuir, e muito, para o desenvolvimento da autodisciplina dos alunos quando organiza uma rotina de tarefas a serem executadas naquele dia. Isso propicia um senso de começo, meio e fim e portanto, evita que haja stress por parte dos alunos por não saberem o que os espera. Quando conhecemos o que está por vir fica mais fácil praticar a autodisciplina.

Autodisciplina na transição das aulas
O caos de toda escola ocorre, geralmente, na transição das aulas. Esses momentos seriam facilmente equacionados se todos os alunos tivessem autodisciplina de suas emoções, e portanto, apresentariam comportamentos diferentes dos que vemos atualmente. Então que tal organizar este momento de transição propondo aos alunos tarefas a serem executadas na transição? Por exemplo: sempre que ocorrer a transição o Professor que está saindo deixa uma tarefa para a sala realizar até a chegada do próximo Professor.
Exemplo de Tarefa:
– organizar as carteiras em semicírculo;
– quando chegar a próxima transição a organização das carteiras será dois a dois;
– quando o próximo chegar a organização das carteiras será em fileira, etc.
Ou seja, cada Professor que sair deixa uma tarefa para a chegada do próximo. No exemplo acima, a tarefa envolvia a arrumação de carteiras, mas você pode escolher outra tarefa que toda a sala pode realizar em poucos minutos, evitando assim a bagunça nos corredores e  reforçando responsabilidades para todo o grupo.

Características da autodisciplina
Ter autodisciplina, ou auxiliar nossos alunos a desenvolvê-la não é uma tarefa fácil e nem rápida. Por isso procure desenvolver as características abaixo, pois elas irão te levar mais perto de alcançar a autodisciplina ou o governo de si mesma:
Aceitação: Aceitar que você é um ser humano em construção e que portanto, precisa de direção, ser guiado, senão a todo instante você será lançado em várias direções que serão opostas aos objetivos que você precisa atingir. Por isso preste atenção às coisas que estão tirando você do caminho.
Força de Vontade: A força de vontade é algo que retiramos de um objetivo maior nas nossas vidas. Um projeto, um sonho, uma meta. Os motivos do porquê lutamos ou perseguimos algo é o que nos motiva a ir em frente.  Procure buscar de onde você retirará esta motivação para perseverar.
Esforço: Quando caminhamos em busca de algo precisamos colocar a nossa vontade ao nosso serviço, e esta ação nos leva a dirigir nossos esforços de maneira mais focada. Pessoas que tem autodisciplina esforçam-se mais. Preguiça e procrastinação não fazem parte do vocabulário.
Diligência: Ser aplicado, cuidadoso e estar pronto para realizar algo é uma das características das pessoas que tem autodisciplina.
Persistência:  Sabe quando aparece aquela vontade de desistir e jogar tudo para o alto? Pois é neste momento que precisamos de uma carga EXTRA de vontade, EXTRA de esforço, EXTRA de diligência.
 Essa carga extra é a persistência. Instile isso em você. Pois pessoas com autodisciplina sempre atingem as suas metas e objetivos porque PERSISTEM. Podem até cair, mas levantam-se e começam tudo de novo se for preciso.

Então, se você enquanto Professor ainda não é uma pessoa autodisciplinada, que estas orientações possam lhe ajudar a desenvolver estas características, pois só assim você poderá ajudar também os seus alunos a terem autodisciplina.
Quem ganha com tudo isso?  VOCÊ, VOCÊ e VOCÊ.

Roseli Brito
Pedagoga - Psicopedagoga - Neuroeducadora e Coach

domingo, 13 de agosto de 2017

Atletas novolindenses garantem pódio na IV Corrida Dia dos Pais realizada em Crato

O Grupo de Atletismo Os Voluntários de Nova Olinda-CE marcaram presença em mais uma competição neste domingo (13) na IV Corrida em comemoração ao Dia dos Pais realizada no município de Crato-CE. A largada foi na Encosta do Seminário, em frente ao Cruzeiro às 9:00 horas e teve um percurso de 5 km. 

Confira a classificação dos nossos atletas:
2º lugar geral - Diego Almeida;
3º lugar geral - João Paulo dos Santos;
1º lugar/categoria de 30 a 39 anos de idade –  Georgetown Almeida da Silva;
3º lugar até 15 anos de idade – Kaio Bruno Morão;

Na oportunidade o Coordenador do Grupo de Atletismo Os Voluntários, Aparecido Silva, parabenizou a todos os classificados que marcaram presença no pódio e, destacou em especial o atleta Georgetown Almeida pela conquista e pela passagem do dia dos pais.

Aparecido Silva ainda agradeceu aos parceiros do Grupo de Atletismo Os Voluntários: Governo Municipal; Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo; Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar- SINTRAF; Empresário Manoel Galdino (Cabeludo); Posto São Sebastião; Auto Posto Leal; Click Informática; Drª Karinne; Dr. Tibério; Mercadinho São Francisco; Escolinha de Atletismo Os Voluntários; Sítio Barreiras; Frutaria O Carioca.

sábado, 12 de agosto de 2017

Pai...

“Pai que aos olhos da criança é herói
Pai que aos olhos do jovem é vilão
Pai que aos olhos do adulto é um amigo
Pai que aos olhos do velho é saudade

Quando eu te via como herói
Não sabia quase nada da vida
Sentia-me seguro ao seu lado
Eu só queria ser seu filho

Quando eu te vi como vilão
Pensava que já sabia tudo sobre a vida
Não queria proteção
Eu só queria ser herói

Quando eu te vi como amigo
Pude me dar conta dos erros cometidos
Foi quando realmente te conheci
Que entendi o sentido da vida

Quando me dei conta de sua falta
A idade já havia me alcançado
Você já não era mais herói, nem vilão
Nem amigo e nem solidão

Você virou soma de tudo aquilo que foi
De tudo aquilo que eu pensei que fosse
A síntese da vida que hoje eu vivo
A minha definição da palavra PAI!”

Matéria sobre o tema “transgêneros” com a novolindense Dhafinny Angel Arrais

Há muito preconceito em torno das identidades de gênero. Você já se perguntou o que é ser transgênero? Vale lembrar que a falta de conhecimento não deixa de alimentar a intolerância.

Para a maioria das pessoas, quando se fala em gênero, há dois papéis estabelecidos: o homem e a mulher. Sua constituição e comportamento estão primordialmente ligados ao sexo biológico. Um transgênero seria justamente aquele que não se identifica, nem se expressa, segundo o "esperado" para o seu gênero sexual.

Quem é transgênero normalmente tem a sensação de estar no corpo errado, sofrendo um desconforto constante em relação ao próprio sexo.  Depois de ver alguns capítulos da novela “A Força do Querer” de Gloria Perez observando o contexto em que foi criado a personagem Ivana resolvi fazer esta matéria. Essa personagem interpretada pela atriz Carol Duarte se descobre como transgênero e vive muitos dilemas diante de suas escolhas.

Então, convidei a transgênero novolindense, Dhafinny Angel Arrais, para uma conversa sobre o tema e também conhecer um pouco de sua história de vida que compartilharei com vocês através desta matéria.
Antonio Adailton Ferreira da Silva, 21 anos de idade, de nome social Dhafinny Angel Arrais é novolindense e reside no Bairro Nossa Senhora de Fátima. Ela disse que se percebeu como transgênero ao final do ensino médio cursado na EEM Padre Luís Filgueiras onde teve apoio e o respeito de todos e disse ter aceitação neste ambiente escolar.

Concluiu o ensino médio, está fazendo curso profissionalizante em informática e trabalha em casa de família. Para o futuro tem planos de cursar Artes Cênicas uma área que se identifica.

Mesmo Nova Olinda sendo um município pequeno a mesma afirma que foi mais fácil assumir-se aqui onde já se identificava como gay até descobrir-se transgênero, pois as pessoas já sabiam da sua orientação sexual.
Com a mãe Dona Terezinha
Quanto a sua relação com a família disse que assim como acontecesse com muitos foi bem difícil. A aceitação da família demorou, mas acabou acontecendo tanto da parte dos pais quanto dos seis irmãos. Ela disse que o pai aceitou logo e a mãe foi mais resistente, pois tinha medo das críticas.

Ela diz estar satisfeita com seu corpo e mesmo com todas as alternativas oferecidas através da medicina não pensa em fazer nenhuma modificação em seu corpo.
Diz relacionar-se normalmente e no momento está namorando. Destacou que existem homens que respeitam e homens que fingem respeitar, mas que dá pra perceber até mesmo no olhar, afirmou Dhafinny.

Falou que desde criança sentia-se "afeminado e gostava do que as mulheres gostam". Disse ainda que muitas amizades lhe fortaleceram na hora de tomar determinadas escolhas e uma amiga transgênero em especial teria sido sua referência.

Quanto as escolhas ela diz que cada um deve se aceitar e se achar feliz com o que é... tacar a cara e se jogar! Afinal, o que importa é a gente ser feliz, disse   Dhafinny.
Quanto ao preconceito afirmou que tem muitos amigos que não se assumem como gostariam por conta dos preconceitos que enfrentariam na sociedade. Ainda disse já ter ouvido muitas críticas, mas deixa pra lá e não se sente intimidada.

No entanto, tem um ciclo de amizades e conhece pessoas que a apoiam e aconselham onde constrói relações afetuosas. Para cuidar do corpo faz academia, toma hormônios e não descuida da saúde. Começou com os exercícios na academia onde definiu a musculatura e só bem depois foi que começou com os hormônios. E, destaca algumas mudanças já visíveis em seu corpo como a face (o rosto), a voz, o aumentou do quadril e dos seios.
Ao final deixou um recado para as pessoas que ainda não se assumiram ou por medo da sociedade ou por receio da reação da família: “Poderiam se amar mais e ver que o importante é ser feliz. Eu não deixaria de ser o que sou para ser o que a sociedade quer... Eu prefiro me olhar no espelho, me amar mais, ter amor próprio e dizer eu sou o que sou e sou feliz.”