Ubuntu Notícias

Administradora Lucélia Muniz

Nova Olinda-CE

Meu chão cearense

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira os nossos Patrocinadores

Ubuntu Notícias Oferecimento

Confira nossos Patrocinadores

Anuncie com a gente

Marketing Digital

domingo, 23 de janeiro de 2022

Mob Telecom e Instituto O Canto do Patativa unindo o dom de conectar com o Amor em incluir e transformar | ASSARÉ-CE

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 23 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__ @vavagois 

No sábado (15), o Instituto O Canto do Patativa, Ong assareense, renovou e reestruturou toda a sua rede de Internet, para melhor servir aos seus participantes no ano de 2022 de maneira híbrida.

Tudo isso graças @mobbytelecom, uma empresa parceria da instituição, sendo uma das maiores referências de fibra óptica no país. Vavá Gois ressaltou que a internet é super rápida. “Vai no direct da @mobbytelecom e faça sua adesão, valorize as empresas que prestam serviços de responsabilidade social para o nosso povo”, destacou.

Para quem desejar ser um parceiro ou um colaborador da Ong Instituto O Canto do Patativa:

Faça sua doação através do PIX (CNPJ) 10.534.884/0001-18

sábado, 22 de janeiro de 2022

HOMENAGEM EM SÃO PAULO, PELO INSTITUTO BEVENUTTO - Cordel de Raimundo Sandro Cidrão

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 22 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  

Cordel HOMENAGEM EM SÃO PAULO, PELO INSTITUTO BEVENUTTO Por Sandro Cidrão

1

Plantando boas sementes

Nos campos da Educação,

Germinaram lindas árvores

No íntimo do coração

Daqueles que ensinei

E o meu tempo dediquei

Em cada sala de aula;

Com toda determinação

Segurando em cada mão

Conduzindo, edifiquei.

2

E como diz o ditado:

“A gente colhe o que planta”

A semente da bondade

Se multiplica em tantas...

Vem o reconhecimento

Servindo pra nós de alento

Valorização que encanta.

Homenageado em vida

Antes da grande partida

Que ninguém sabe o momento.

3

E aconteceu comigo

Um grande contentamento

Da cidade de São Paulo

Veio o reconhecimento

Do Educacional Instituto

Que tem no nome Bevenutto

Onde ex-alunos meus estão.

Resolvem então denominar

E numa escola colocar

Raimundo Sandro Cidrão

4

Lá no Jardim Damasceno

Na Freguesia do Ó

Na metrópole de São Paulo

Meus amigos, vejam só

Josy Maria e Francisco

Santanenses, lá benquistos

Juracildo e outros mais;

Enfrentaram tal jornada

Com uma data já marcada

Para esse evento de paz.

5

De brinde eu também ganhei

Passagens de avião

E pela GOL eu voei

Testando meu coração.

E eu fiquei maravilhado

Das alturas, vi ao lado

Sampa, Guarulhos... olhei.

O medo ficou de lado,

Pois antes do esperado

Em terra firme pisei.

6

No “hall” do Aeroporto

Que é o maior do país

Vi o ex-aluno Francisco

Fiquei então mais feliz.

Ao ver Josy e Juracildo

Chamei logo o Francinildo

Que comigo viajou;

Então pegamos as malas;

Saímos daquelas salas

Das esteiras, com calor.

7

Fomos ao apartamento

Onde iríamos nós ficar

Antes de entrar disse Josy:

Vamos um caldo tomar;

É o famoso “caldo verde”

Depois na cama ou na rede

Dormir, também descansar.

Para bem cedo sair

No carro que devia vir

Bem cedinho, nos buscar.

8

Dezessete de dezembro

De dois mil e vinte e um

Foi bela a inauguração

Num momento incomum;

Sexta-feira que encantava

Do céu até neblinava

Como numa saudação.

Cheguei e me encantei

A todos cumprimentei,

Com carinho e atenção.

9

A festa pela manhã

Tocou o meu coração

Quando vi naquela placa:

“CEI Professor Sandro Cidrão”

Todos uniformizados

Professores, convidados,

Alunos e funcionários.

Em todas as dependências

Móveis, jogos de Ciências,

Brinquedos, também berçários.

10

E dentre os convidados

Santanenses encontrei:

Níria, Cícero, Mariene

Com Cecília, me animei.

Logo então fui convidado

Na mesa de honra, sentado

Ao lado de autoridades;

Câmara e subprefeitura,

Secretários à altura;

Estava bem ladeado.

11

Dulcilene, a diretora

Silvia, com desenvoltura

Parceira Maria Cecília

Amores de criaturas;

Marlena Payan, Larissa;

Com Francisco a premissa

De alcançar mais e sempre.

A Doutora Josy falou

Em sua mensagem exaltou

O professor santanense.

12

Ao proferir meu discurso

Bem antes solicitei

Um minuto de silêncio

Então a Deus eu orei,

Pois na noite anterior

Deixando tristeza e dor

Uma funcionária faleceu:

Marli, exemplo de fé.

Para nos manter de pé,

Sua esperança venceu.

13

E assim Juliana Fábio

Segue o cerimonial

Me entregando o microfone

Para o discurso inaugural.

Paulo Freire, então citei

E logo me emocionei

Lembrando a situação;

Nesta grande pandemia

Que trouxe tanta agonia

Para a Cultura e Educação

14

Após lauto “coffee break”

Fomos então visitar

Os outros CEI’s existentes

E num deles almoçar.

“Asas da Vida” primoroso,

“Maura”, o “Benigna Cardoso”

E “o Anivaldo” também.

Willamara eu conheci,

E a Andréa, depois daí;

Gente agradável, do bem.

15

Fui também presenteado

Com um inesquecível “tour”

Museus, teatros, igrejas,

Ruas, praças, “expotur”.

Holambra com suas flores

Num festival de mil cores

Degustei o seu “menu”.

“Filé à parmegiana”

Numa apresentação bacana

E uma “petit gateau”.

16

Conheci o centro histórico

Também a Sé Catedral

Fui à Estação da Luz,

Ao teatro Municipal;

“Monteverdi em concerto”

O coral tocou meu peito

E o Minczuck magistral,

Com tenores e sopranos;

Não estava nos meus planos

Este evento cultural.

17

Lembrei show de Elis Regina

No Viaduto do Chá

Quando de lá avistei

“Selva de pedra” sem par

A Rua Santa Ifigênia

E o prédio de Dona Armênia

Me veio a inspiração;

De produzir estas rimas

Sentado em uma esquina

Na Ipiranga com a São João.

18

Mas foi na Pinacoteca

O momento magistral

Me deparei frente à frente

Com um “Tarsila do Amaral”.

A tela “Antropofagia”

Com toda a sua magia

Da arte, a revolução.

Debret e Di Cavalcanti

Rodin, da escultura, amante

Tocaram meu coração.

19

Às vésperas de retornar

Fomos então, conhecer

A Chácara do Francisco

Pra sua esposa eu rever

Seu nome “Preta” Maria

Uma flor de simpatia;

Solícita em agradar;

A sua casa mostrou

Também me presenteou

Com um mimo, vou lembrar.

20

Na manhã da sexta-feira

Já na véspera do Natal

Fomos ao aeroporto

Naquela área central.

Corre-corre contra o tempo;

Guichês, “check-in”, contratempos

Num vaivém infernal.

Com bagagens despachadas,

Seguimos para as entradas

Do nosso embarque, afinal.

21

Lá, triste, eu me despedi

Da amiga Josy Maria

E do compadre Juracildo

Que fez mais do que podia.

No salão de embarque entrei

E lá então encontrei

Silmara de mala na mão.

Mariene me abraçou,

Pois íamos no mesmo voo

Voltar ao nosso torrão.

22

Chegando ao Juazeiro

A Deus, logo agradeci

A viagem foi tranquila

De São Paulo ao Cariri.

Fernando e Cida lá estavam

Com o Moésio, esperavam;

Quanta consideração!...

Seguimos para Santana

Neste encontro bem bacana

Com fé e determinação.

23

Chegando a minha casa

Filhas e esposa abracei,

E fomos logo cantando

O bendito: “A nós descei...”

Após a Entronização,

Agora, a Renovação

Iríamos todos rezar;

Ao Coração de Jesus

Pedindo que a sua luz

Nos viesse abençoar.

Santana do Cariri-CE, 13 de janeiro de 2022.

110 anos do Senhor Wellington Belém de Figueiredo | MEMÓRIA

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 22 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  

Em tempo, a Redação do Ubuntu Notícias faz Homenagem a Memória do Senhor Welllington Belém de Figueiredo, em seus 110 anos comemorados dia 19 de janeiro, veiculando aqui um pouco da história deste ilustre cidadão.

WELLINGTON BELÉM DE FIGUEIREDO - Biografia

Nasceu em Crato-CE, no dia 19 de Janeiro de 1912. Seus pais: Antonio Belém Sobrinho e Maria Belém de Figueiredo. Toda a sua formação foi no Ginásio do Crato (Colégio Diocesano), trabalhou nas Casas Pernambucanas quando ainda jovem para concluir os estudos. Estudou Inglês, Francês e fez curso de Datilografia.

Depois de concluir os estudos, trabalhou na Farmácia Brasil do seu Tio, Dr. Belém de Figueiredo em Juazeiro do Norte-CE. Logo depois trabalhou em Viçosa-CE, sendo professor por dois anos. 

Conheceu, em Nova Olinda-CE, a Srta. Adelaide de Alencar Milfont com quem namorou e noivou, continuando a trabalhar na Farmácia Brasil em Juazeiro do Norte-CE. Mantinha a chama acesa do amor entre os dois através de cartas. Casou no dia 20 de janeiro de 1945, no dia do Padroeiro São Sebastião na Igreja de Nova Olinda-CE. Cerimônia essa muito reservada, pois, os noivos combinaram que não queriam divulgação, estavam presentes apenas as testemunhas, suas irmãs e cunhados. A união foi celebrada pelo Pároco da Cidade de Santana do Cariri, Pe. Cristiano Coelho.

Desta união nasceram os filhos: Francisco Eldon Milfont Belém (Empresário), Maria Ademilde Milfont Belém Mourão (Pedagoga), Carlos Alberto Milfont Belém (Advogado), Francisca Ivonilde Milfont Belém (Pedagoga)(In memoriam) e Maria Nereide Milfont Belém (Pedagoga).

Ao chegar em Nova Olinda sua missão foi alfabetizar todos que não tiveram a chance de frequentar a Escola. Entre eles, as cunhadas, cunhados, compadres, comadres e as pessoas que vinham de outras cidades vizinhas com o objetivo de se prepararem para o exame de admissão. Dentre estas, destaca-se o Dr. Plácido Cidade Nuvens (Reitor da URCA por alguns anos), o qual sempre o elogiou. Numa época em que a SEFAZ – Secretaria da Fazenda precisou de Fiscais para assumir o cargo de Coletor na cidade do Crato, ele preparou muitos candidatos, entre eles, destacaram-se Laurênio Alves Feitosa e Francisco de Alencar Milfont (Macedo).

Quando a seca se alastrou na região, foi convidado a trabalhar no Latão, e em Itaguá-CE no açude feito pelo DENOCS no ano de 1951 a 1957 com o cargo de Encarregado de Obras. Quando a referida Instituição foi desativada o mesmo retornou para Nova Olinda.

Tentou de tudo, foi comerciante no ramo alimentício e farmacêutico, mas nunca deixou a sua missão de educar, se dedicando a leitura e na transmissão de seus conhecimentos.

Foi Juiz Especial de Paz, durante anos. Ele trabalhou com suas colegas Marília Feitosa e Diva Feitosa realizando casamentos.

E, logo passou a ensinar no Centro Educacional Avelino Feitosa, era professor das disciplinas de Português, Inglês e Francês.

No ano de 1959 assumiu a Prefeitura Municipal de Nova Olinda com os cargos de Secretário e Tesoureiro, onde trabalhava com muita dedicação e eficiência ressaltando sua honestidade. Foi muito amigo das pessoas simples e não era adepto a politicagem, ele tinha aversão a este tipo de atitude. Neste campo da política, admirava o Cel. Adauto Bezerra.

Vivia viajando para Fortaleza-CE a trabalho da Prefeitura e também para se aperfeiçoar em Inglês e Francês, onde fez um curso de capacitação para assumir as disciplinas no Centro Educacional Avelino Feitosa.

Por ser um pai muito dedicado a família, sua maior dor foi ter que se separar dos filhos, quando estes vieram em 1974 estudar na cidade do Crato. Ele os visitava todos os fins de semana e só voltava para Nova Olinda nas terças-feiras. Morava em Nova Olinda com a sogra Adélia de Alencar Milfont e com a cunhada Ivanira Milfont e o Sr. Zeca Leal, enquanto os filhos seguiam o seu legado. “A educação é a maior herança que um pai pode deixar para os filhos” - ele sempre dizia esta frase.

Chegou a se aposentar em 1981, onde não pode usufruir da sua aposentadoria, pois logo em seguida foi acometido de uma esclerose senil.

Faleceu no dia 06 de Maio de 1988 na sua residência, deixando a viúva Adelaide de Alencar Milfont Belém, os 05 filhos, 08 netos e 03 bisnetos.

127ª Edição do Ubuntu TV | QUADRO DE ENTREVISTAS, GIRO DA SEMANA, UBUNTU NEWS e COLABORADORES

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 22 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__ @dieguinho_oliveira09

“O futebol é uma paixão nacional, o esporte mais popular do nosso país e que fez o Brasil ser conhecido mundo afora. É difícil encontrar um brasileiro que não tenha um time do coração e que não entenda pelo menos um pouquinho sobre o esporte”. 

E na 127ª Edição do Ubuntu TV temos a participação em nosso QUADRO DE ENTREVISTAS, do jovem santanense Dieguinho. O Francisco Diego Oliveira Silva, 24 anos, é o idealizador e coordenador do projeto social Escolinha de Futebol “Meninos de Benigna”.  O referido projeto social foi fundado em 16 de junho de 2020 no Bairro Inhumas em Santana do Cariri-CE e atende atualmente a 22 jovens.

E no GIRO DA SEMANA:

Prefeitura de Nova Olinda-CE realiza mutirão para plantar árvores no Passeio Cultural

https://bit.ly/3A5wnE0

Hasteamento do Pau da Bandeira de São Sebastião | NOVA OLINDA-CE

https://bit.ly/3fxD7kU

Secretaria de Saúde amplia vacinação contra a covid-19 durante a festa de São Sebastião | NOVA OLINDA-CE

https://bit.ly/3nyiPvT

Ainda no UBUNTU NEWS:

Lei institui no calendário oficial do Estado a campanha "Outubro Lilás" | CEARÁ

https://bit.ly/3qzO5MQ

Aos nossos COLABORADORES,

Gratidão aos nossos patrocinadores/colaboradores que apoiam esta iniciativa de cunho Educacional/Cultural. Aos que desejarem também apoiar as nossas edições em vídeo entrem em contato pelo (88) 9 9964 3918 (WhatsApp).

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

"Um dia descobri que cantava” Por Elza Soares | HOMENAGEM

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 21 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  

Via Facebook do Não Me Kahlo

O texto que segue é um depoimento da saudosa Elza Soares:

"O meu filho mais velho João Carlos estava morrendo e eu já tinha perdido 2 filhos e não queria perder mais um.

Eu não tinha dinheiro pra cuidar do meu filho e ouvi no rádio que o programa do Ary Barroso de calouros Nota 5, estava com o prêmio acumulado. Não sei como, mas eu sabia que ia buscar esse prêmio!

Fiz a inscrição e me avisaram que eu precisava ir bonita. Mas eu não tinha roupa nem sapatos, não tinha nada! Então, eu peguei uma roupa da minha mãe, que pesava 60kg e vesti, só que eu pesava 32kg, já viu né? Ajustei com alfinetes. Tudo bem que agora é moda ne? Hoje até a Madonna usa, mas essa moda aí fui eu que comecei viu? Alfinetes na roupa é muito meu, é coisa de Elza!

No pé coloquei uma sandália que a gente chamava de “mamãe tô na merda”, e fui!

Quando me chamaram, levantei e entrei no palco do auditório. O auditório tava lotado, todo mundo começou a rir alto debochando de mim. Seu Ary me chamou e perguntou:

- O que você veio fazer aqui?

- Eu vim Cantar!

- Me diz uma coisa, de que planeta você veio?

- Do mesmo planeta seu Seu Ary.

- E qual é o meu planeta?

- PLANETA FOME!

Ali, todo mundo que estava rindo viu que a coisa era séria e sentaram bem quietinhos.

Cantei a música Lama. O Gongo não soou e eu ganhei, levei o prêmio e meu filho está vivo até hoje, graças a Deus!

De lá pra cá, sempre levo comigo um Alfinete. Naquela época eu achava que se tivesse alimentos pros meus filhos, não teria mais fome. O tempo passou e eu continuei com fome, fome de cultura, de dignidade, de educação, de igualdade e muito mais, percebo que a fome só muda de cara, mas não tem fim. Há sempre um vazio que a gente não consegue preencher e talvez seja essa mesma a razão da nossa existência".

Enlace Matrimonial de Allany & Michael | NOVA OLINDA-CE

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 21 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  

No sábado (15) a união do casal Allany & Michael foi abençoada por Deus no Pátio Cielo no município de Nova Olinda em celebração presidida pelo Pastor Márcio Muniz.

Ao casal Allany & Michael,

E foi sob o olhar das nossas câmeras da Equipe da Agência Click de Nova Olinda que registramos o SIM deste casal pela união matrimonial. Allany e Michael são os primeiros jovens da Igreja e Projeto Vem Viver do Bairro Vila Alta de Nova Olinda a contraírem matrimônio no projeto/igreja onde participam desde a fundação. O casamento é construído com muito amor, respeito, fidelidade e admiração. E exatamente esses sentimentos é que serão, para todo o sempre, o grande pilar da relação de vocês. Aceitem os nossos cumprimentos pelo casamento, vocês merecem toda a felicidade!!!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Conheça a história do nova-olindense, Carlos Brito, recém formado Técnico de Enfermagem |EDUCAÇÃO

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 20 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__ @carlos_brito_tec.em.enfermagem

Hoje apresentamos aqui no Ubuntu Notícias a história de Carlos Brito da Silva, divorciado, 37 anos, Sítio Barreiros/Nova Olinda-CE, filho de Rosa Pereira de Brito, formação técnico de Enfermagem, COREN-CE 1739132-TE. O convidamos para dá o seu depoimento sobre a conclusão do referido curso e desde já desejamos sucesso e prosperidade. Carlos, muitas bênçãos em sua jornada!

O depoimento que segue foi encaminhado ao Ubuntu Notícias pelo nosso convidado Carlos Brito

Em fevereiro de 2019 ao ver o anúncio de vários cursos técnicos na cidade, na época não tinha emprego fixo, tomei a iniciativa por fazer o curso técnico de enfermagem. Na primeira aula já tive a certeza que havia feito a escolha certa e que era isso que eu queria fazer para o resto da minha vida, queria ajudar a salvar vidas. Daí me dediquei intensamente a esse curso. Nunca faltei sequer uma aula, sempre com boas notas.

Quando estava com um ano de curso, por ser leigo, não tinha consultado se o mesmo era reconhecido pelo MEC, se a instituição era regularizada e também por ter confiado em terceiros não me atentando a estes fatos. Acabei descobrindo que a instituição não era reconhecida pelo MEC... não era legalizada e que ao concluir o curso ia receber um diploma da Paraíba.

Diante dessa descoberta, um amigo me orientou a procurar o ministério público do Crato onde lá já havia visto chegar uma turma de alunos dessa mesma instituição. No dia seguinte fui a promotoria de justiça do Crato e em conversa com o promotor pude constatar a veracidade do caso.

Este falou que uma turma de alunos de Farias Brito já havia entrado com uma ação contra a instituição que ministrava o curso. Fizemos as comparativas dos documentos e do nome e CNPJ e podemos concluir que se tratava da mesma instituição e da mesma responsável, onde a mesma afirmava que   se a gente continuasse o curso poderia até se formar e tirar o Coren.  

Mas, esse certificado poderia ser questionado por qualquer pessoa, a qualquer momento, e eu poderia até responder por exercício ilegal da profissão. Como íamos concluir um curso no Ceará e receber um certificado da Paraíba, sendo que não existe curso técnico de enfermagem à distância e que o certificado tem que ser emitido no estado onde se cursou? 

O promotor do Crato me orientou a registrar um B.O. por estelionatário e nos prontificou a ajudar entrando em contato com o ministério público de Nova Olinda e passando todas as informações do caso para o promotor de justiça da nossa comarca, saindo de lá já fui diretamente na polícia civil e fiz o B.O.  

Diante de tudo isso, toda a nossa turma de 20 alunos já sabia do que estava acontecendo. Tinha um grupo não oficial e eu estava sempre os atualizando, e já postei uma foto saindo da delegacia após fazer a denúncia.

Uma das colegas de turma ligou para o responsável pelo curso e falou que eu havia descoberto tudo e que já tinha ido na promotoria e na civil e registrado o B.O. De imediato o responsável pela instituição entrou em contato comigo por telefone e tentou me calar, me comprar, oferecendo um curso em outra instituição com tudo pago por ele, sob a condição de não contar nada pra ninguém. Eu não aceitei e falei que onde tivesse um aluno daquela instituição eu ia dizer que se tratava de uma instituição não regularizada.

Diante de tudo isso, a grande maioria da turma, juntou toda documentação e fomos para a Promotoria de justiça de Nova Olinda, onde o promotor que já estava ciente do que se tratava nos recebeu. Entregamos a documentação comprobatória dos fatos e de imediato foi expedida uma intimação para o responsável, solicitando que o mesmo comparecesse com toda documentação e autorizações do curso.

Na audiência acompanhado do seu advogado, o mesmo compareceu e não apresentou nenhum dos documentos solicitados e propuseram fazer um TAC-Termo de Ajuste de Conduta que é um documento utilizado pelos órgãos públicos, em especial pelos ministérios públicos, para o ajuste de condutas contrárias à lei, solicitando que o mesmo procurasse uma outra escola técnica autorizada e reconhecida pelo MEC e que fossemos   transferidos sem perca dos anos já cursados.

Então, fomos transferidos para a UNIPRO-Unidade de Ensino Profissional, onde conhecemos a estrutura da escola, o laboratório e vimos toda documentação da nova instituição. Os responsáveis vieram em Nova Olinda fazer uma reunião com a gente e com todos de acordo, assinamos o contrato e continuamos o curso téc. de enfermagem.

Éramos uma turma de 20 alunos, mas apenas 12 continuaram, pois teríamos que pagar transporte e com isso aumentou os gastos e muitos vinham de cidades vizinhas como Altaneira e Santana do Cariri. Após tudo isso, demos continuidade ao processo. Procuramos uma advogada e entramos com um processo por danos morais, pois a notícia dos fatos acontecidos tinha ganhado uma proporção muito grande saindo em vários blogs, jornais de rádios, site miséria e até na TV Verdes Mares.

Nós sofremos vários ataques, fomos motivos de deboche e piadas, porque nesse mesmo ano essa mesma instituição estava quase formando uma turma, tinha a nossa turma e tinha acabado de iniciar outra turma. Eu fui o mais atacado por ter sido o primeiro a descobrir.  Me chamaram de louco, diziam que eu queria 15 minutos de fama, que eu gostava de aparecer, de causar, e que a instituição já estava entrando com um processo contra mim por calunia e difamação.

Enfim, foi uma barra, mas como sempre lutei pelos meus direitos, desta vez não poderia ser diferente. E após alguns meses teve a audiência virtual e fomos todos indenizados. Cada um recebeu um valor razoável, mas as sequelas a gente carrega até hoje. Diante de tudo isso seguimos em frente, pois isso só nos fortaleceu e fez com que continuássemos e jamais íamos deixar que nosso sonho fosse interrompido. Como diz o ditado: “antes tarde do que nunca”.

Quando já estava apto a estagiar, de imediato já corri atrás de fazer um estágio extra curricular voluntário. A UNIPRO providenciou toda documentação necessária e iniciei o estágio extra curricular no Hospital de Pequeno Porte Ana Alencar Alves em Nova Olinda. Fiz 06 meses de estágio supervisionado pelo o Enfermeiro Diogo e acompanhado da minha amiga tec. de enfermagem Marlene Alencar. E quero aqui agradecer a toda a equipe de profissionais que fazem o Hospital e a Secretaria de Saúde.

Nunca foi sorte sempre foi Deus! Trabalhava durante o dia, fazia o estágio extracurricular voluntario a noite e ainda fazia o estágio curricular. Com a pandemia tivemos muita dificuldade em conseguir campos de estágio. Onde a escola conseguia vagas, eles exigiam que todos estivessem vacinados e nem todos estavam e nisso bateu um desânimo e a ansiedade se íamos conseguir concluir o nosso sonho.

Aí lembrava que nunca tinha sido fácil e porquê agora seria? Aí os campos de estagio foram surgindo, mesmo em meio a pandemia e não tememos. Tínhamos um sonho bem ali na frente a se realizar!  Estagiamos em Barbalha, Juazeiro, Crato e Nova Olinda.

Enfim, no dia 17 de dezembro de 2021 concluímos! Atualmente sou Funcionário Público na pasta da Educação e aos finais de semana no período das 7h às 19h atuo na minha aérea como téc. de enfermagem Home Care no Crato.

Já fui aprovado no concurso do funsaúde, já fui aprovado em uma seleção da secretaria de saúde de Juazeiro, embora infelizmente tenha sido cancelada por ter um concurso vigente.  E, já estou inscrito no concurso de Limoeiro. O sonho de conseguir uma vaga na minha área é muito grande!

Como diz a minha amiga Marlene: “você se encontrou nessa profissão, você nasceu pra isso”. Eu me encontrei profissionalmente mesmo, mas como para entrar na minha área só por seleção ou concurso, agora é estudar mais e mais para passar. 

Quero aqui mencionar alguns dos meus queridos colegas técnicos de Enfermagem: Patrícia Nogueira, Evania Rodrigues, Francisco Ernandes, Queliciane Silva, Aurivania Lacerda e os demais do curso para a vida.

Quero aqui agradecer a Lucélia Muniz e ao Ubuntu Notícias pelo convite para contar um pouco da história da minha formação! Agradecer a minha mãe, meu filho, meus sobrinhos(a), meu irmão, minha irmã e gostaria de terminar com uma reflexão de Florence Nightingale que resume o porquê da minha escolha por esta linda e maravilhosa profissão:  

“Escolhi os plantões porque sei que o escuro da noite amedronta os enfermos.

Escolhi estar presente na dor porque já estive muito perto do sofrimento. Escolhi servir ao próximo porque sei que todos nós um dia precisamos de ajuda.

Escolhi o branco porque quero transmitir paz.

Escolhi estudar métodos de trabalho porque os livros são fontes do saber.

Escolhi ser técnico de Enfermagem porque amo e respeito à vida!”

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Já se inscreveu para o 1º Painel de Lançamento do Ebook Cidadania, Democracia e Participação da Mobis Educação?

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 19 de janeiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  @mobis_educacao

Via Mobis Educação

E foi anunciado a data do 1º Painel de Lançamento do Ebook Cidadania, Democracia e Participação: Práticas Pedagógicas para o Ensino Fundamental II e Médio da Mobis Educação.

A Mobis Educação tem por objetivo conectar e apoiar educadores em torno da educação cidadã. Seu objetivo é formar novas gerações de cidadãos responsáveis e engajados.

O eBook é o projeto final da Jornada Educadores da Cidadania e, para apresentá-lo, será organizado 3 painéis de conversa com os(as) criadores(as) das práticas!

A proposta é convidar todos(as) a conversar com os(as) educadores(as) da Jornada sobre suas práticas pedagógicas e sobre como foi trilhar esse percurso.
Neste primeiro painel, se apresentarão a Aurilene Pantoja, o Gilberto de Oliveira, o João Lucian e a Tais Ferreira. Os(as) professores(as) apresentarão rapidamente suas práticas, comentarão como foi a experiência de aplicar uma prática sua com seus estudantes e responderão às perguntas!

Durante o primeiro painel de apresentações, se poderá conhecer mais das práticas “Nossas vozes, nossos corpos. Presentes!”, de João Lucian; “FAKE NEWS: o que eu tenho a ver com isso?”, de Gilberto de Oliveira; “Histórias de Vida e Construção de Saberes em Cidadania”, de Aurilene Pantoja; e “Democracia na atualidade, a partir de uma memória política”, de Tais Ferreira.

O painel será no dia 08/02 (terça-feira) às 19h! As inscrições são gratuitas e podem ser feitas clicando AQUI.