domingo, 19 de junho de 2022

Confira o discurso da Professora Dra Laudeci Martins na Colação de Grau da URCA | CRATO-CE

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 19 de junho de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__  @laudeci.martins

A Colação de Grau unificada 2021.2 da Universidade Regional do Cariri-URCA aconteceu no dia 26 de maio, ocasião em que a Profa Dra Laudeci Martins proferiu o discurso que vocês irão conferir a seguir.

Foi com bastante atenção que ouvi as palavras proferidas por esta nova-olindense, por quem tenho grande admiração. E diante as diversas reflexões que me ocorreram entrei em contato com a mesma e pedi o discurso, pois com certeza estas palavras também serão importantes para vocês.  

Em tempo, compartilho com vocês o discurso da Profa Dra Laudeci Martins:

Laudeci Martins

Profa. Universitária. Dra (Educação), Me (Economia). Estudante de Psicologia (6/10). Fortalece profissionais via oficinas, palestras e mentorias. 

O discurso da Profa Dra Laudeci Martins

Boa noite a todas, todos.

Boa noite, magnífico reitor da Universidade Regional do Cariri, professor Francisco do Ó de Lima Júnior, em nome de quem cumprimento a composição da mesa solene.

Boa noite, professor Miguel Adriano, em nome de quem cumprimento o corpo docente da Universidade Regional do Cariri.

Boa noite, Fátima Otávio da Silva, em nome de quem cumprimento o corpo de funcionários e funcionárias da nossa IES.

Boa noite, Sra. Benedita Bezerra Bernardo, em nome de quem cumprimento todos os familiares das formandas e dos formandos. 

Boa noite, Francisca Valteane Silva de Souza, em nome de quem cumprimento todas as formandas e todos os formandos que aqui comparecem para obtenção do seu  título de graduação.

Quero, ainda, homenagear o funcionário Francisco Belarmino, que nos deixou, precocemente, vítima da covid-19; e o nosso inesquecível professor Felisberto Nunes, de saudosa memória, que nos deixou em 2020. Em nome deles, lamento todas as nossas perdas durante esse tempo estranho dos dois últimos anos.

Peço licença para me dirigir agora, em específico, às formandas e aos formandos cujas vidas serão profundamente transformadas a partir desse rito de passagem que é a solenidade de graduação.

O desafio de iniciar uma fala dessa natureza começa pelo próprio aspecto de que muito já se disse ao longo de toda a formação.

Certamente, todas, todos que estão aqui já ouviram sobre a importância da educação pública, a relevância de se ter compromisso com as nossas trajetórias como estudantes e trabalhadores, pais, mães, filhos, amigos enfim.

Tiveram, igualmente, a oportunidade, ao longo das suas formações em educação básica e ensino superior, de adentrar textos e falas sobre a transformação social gerada pelos anos de estudo.

Certamente, sabem da responsabilidade que uma graduação confere. Ou seja, que eu não seja repetitiva naquilo que muito já se disse. Mas, ocupar a diferença requer que se assuma um desafio. Neste lugar de fala me sinto falando pros meus iguais.

Gentes muitas e outras que aceitaram o desafio sobreviveram às intempéries e aqui se apresentam, munidos de gratidão pelo que foi e esperança no que virá.

Nesse caminho, contaram com a importante participação e trabalho dedicado pelos professores e professoras, ao longo de uma trajetória de formação iniciada ainda na educação infantil. Foram apoiados emocionalmente e financeiramente por adultos responsáveis tais como pais, familiares, amigos, enfim.

Ou seja, uma trajetória não se faz em singular. Há sempre alguém que conosco caminhou e é importante reconhecer isso. No entanto, se tratando da formação em uma IES pública, este momento guarda uma simbiose importante, com o cumprimento do papel do Estado na sua função precípua de oferecer passarelas de transformação social aos seus.

Então, a cena que se apresenta nesse momento aos olhos de vocês, as emoções que lhes atravessam, as imagens geradas a partir daqui e em tempo real são tessituras de boa vontade pessoal, mais apoio de familiares, mais responsabilidade docente e cumprimento do papel do Estado brasileiro através das gestões e dos recursos públicos aqui investidos.

Não esqueçam que, na história da educação brasileira, há uma quantidade significativa de homens e mulheres que não chegaram a uma solenidade dessa natureza. Não porque não tenham inteligência cognitiva e possibilidades de fazer esse caminho; mas, sobretudo, porque as intempéries da jornada foram superiores aos benefícios dessa.

O Brasil é historicamente conhecido como uma pátria que nega à grande maioria dos seus as possibilidades de usufruto das suas riquezas.

Nesse sentido, formar-se é, acima de tudo, assumir uma nova responsabilidade nas suas vidas, que começa pela titulação e concessão de um grau e segue vida a fora no tipo de sujeito que você vai apresentar, do ponto de vista social e privado.

Quem será você como professor, jurista, enfermeiro, economista, engenheiro de produção na sociedade que te aguarda?

A que interesses estarás servindo?

Quais serão seus valores?

Quais serão seus princípios?

Como se reconhecerá no papel de agente de transformação social, para que muitos outros homens e outras mulheres possam trilhar essa jornada vitoriosa?

Quem será você numa situação de paternidade, maternidade, no encaminhamento e fortalecimento das subjetividades que estarão na sua responsabilidade sobre a forma de filhos e filhas?

Como você se imagina no universo do seu trabalho, nas demandas que lhe serão apresentadas? O que você levará daqui?

Que história produzirá no fortalecimento da educação pública, gratuita e de qualidade?

Eu desejo que tenhas uma trajetória de esperança, mas sobretudo que, como disse Paulo Freire, esperes a longa espera dos dias e realizações, fazendo uma transformação no mundo em que habitas; que, enquanto o espera, o modifique.

Desejo que sejas forte o suficiente para compreender as intempéries que se apresentarão no caminho, como os novos patamares a serem atingidos. Que não romantizes as dificuldades e nem desistas da luta política. Tomara que não se assustes nas situações, mas que, acima de tudo, possas acreditar que a sua formação ao longo desses anos todos que hoje se findam pode ser uma chave de abertura de muitas portas pra si, pros seus afetos e a sociedade como um todo.

Sejas forte e corajosa, corajoso, alimente a fé a esperança e sigas pelos bons dias, e aprendas com os dias nublados. Se despeças quando for preciso, abrace as oportunidades, cuide de si e dos seus vínculos, da sua saúde, olhe para si e seja benevolente consigo.

Nenhuma conquista se aparta da sua capacidade de equilíbrio e saúde mental. Tenha zelo com o seu processo: observe, aprenda e acredite. Seu grande valor profissional começa na sua valia como pessoa ética, justa, honesta e, acima de tudo integrativa dos diferentes, excluídos socialmente, e ditos minorias.

Diga não ao fascismo, ao racismo, à homofobia, à xenofobia e a todo e qualquer discurso e ação de violência explicita ou sorrateira. Diga não a todas as situações que desencorajam a vida. Se retire das mesas e rodas que silenciam discurso de ódio, ou você será uma pessoa odiosa também, ainda que em silêncio. 

Se as minhas palavras chegarem até você, se tiver vontade de levar essa minha fala adiante, se sentir motivado, mobilizado, eu posso facilitar a tua compreensão e resumir tudo isso em poucas palavras.

A sua trajetória precisa de você.

Você precisa de saúde mental, conhecimento e boa vontade.

Que possa levar essa história adiante. Não como bandeirantes, querendo impor vossa vontade, interesse e modo de existência ao universo por onde passar, mas como construtor de outros mundos e outras possibilidades.

Tenho uma profunda gratidão pela oportunidade de estar conversando com vocês nessa noite, através desse texto, o qual nós nomeamos de discurso. Eu tenho uma profunda gratidão de ter contribuído ao longo de cinco anos com outros discursos e outras linguagens na sala de aula, na orientação de monografias e demais trabalhos junto com os estudantes do Curso de Graduação em Economia, que aqui me conduziram como paraninfa.

Eu estou nessa Universidade há três décadas como aluna e professora, mas a história dessa noite não é sobre mim, talvez nem seja exatamente sobre vocês. É sobre o futuro que começa aqui e para qual eu, vocês e os demais participantes precisamos estar de portas e braços abertos.

Me despeço agora com uma base de perguntas as quais eu costumo chamar de atitude filosófica diante da vida.

O que mais é possível pensar além de tudo que já se pensou?

O que mais é possível construir além de tudo que já se construiu?

O que mais é possível ser além de tudo que já se foi?

O que mais é possível transformar além de tudo que já transformou?

O que mais é possível viver além de tudo que já se viveu?

Que encontrem as respostas e que essas respostas suscitem novas perguntas, pois o caminho só existe quando você passa.

Festeje.

Agradeça.

Descanse.

E siga...

Volte nessa nossa casa quando puder, nos conte dos nossos acertos e compreenda nossos limites. Ainda que não tenha sido perfeito, foi muito bom ter você por aqui.

Boa noite.

2 comentários:

Deixe seu comentário mais seu nome completo e localidade! Sua interação é muito importante!