segunda-feira, 8 de junho de 2020

Uma reflexão acerca dos casos da Covid-19 Por Dr. Éverton de Lima Oliveira

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 08 de junho de 2020
Por Dr. Éverton de Lima Oliveira
Claro que devemos celebrar quando as pessoas se recuperam de uma doença, mas para nós, profissionais de saúde, não dá para comparar com a dor de perdermos um paciente, principalmente quando essa doença era evitável.

Para se recuperar da Covid-19, é necessário que você adoeça e corra o risco de ser internado, de ser entubado, de morrer. Se o Brasil tem 300 mil recuperados, é porque 680 mil pessoas ficaram doentes, e isso custou a vida de 36 mil pessoas pelo menos, até agora.

Além disso, o esperado, para a Covid-19, é que a esmagadora maioria das pessoas se recupere da doença. Então a grande conquista não é ter muitos recuperados, mas sim poucos doentes e mortos. É o caso da Argentina, que tem só 7 mil recuperados, porque só tem 22 mil casos e apenas 656 mortos.

Pare de usar o número de recuperados para minimizar a gravidade do novo Coronavírus. Ele está entre nós e é um inimigo real, e nós temos a responsabilidade de combatê-lo de verdade, para não adoecer e não matar aqueles que amamos.

Não discuto se a morte estava no destino das vítimas fatais, se era “karma”, ou vontade divina, mas é nosso dever evitar essas mortes, e falar das pessoas recuperadas como cortina de fumaça não vai fazer essas pessoas viverem de novo.

0 comentários:

Postar um comentário

LUCÉLIA MUNIZ FRANÇA
Blogueira, Professora e Microempresária. Membro da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Cadeira nº 35 que tem como Patrona a Professora e Artesã - Maria Constância da França Muniz. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri-URCA com habilitação em Matemática. Especialista em Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte-FJN.