domingo, 24 de março de 2019

O QUE É A PSICOPEDAGOGIA E COMO ELA PODE CONTRIBUIR PARA A MELHORIA DA EDUCAÇÃO

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 24 de março de 2019
"Geralmente, os leigos no assunto, procuram definir a Psicopedagogia a partir de seu próprio nome que sugere uma junção entre Psicologia e Pedagogia. Contudo, a Psicopedagogia não é simplesmente a junção entre essas duas ciências."

O objeto da psicopedagogia
Geralmente, os leigos no assunto, procuram definir a Psicopedagogia a partir de seu próprio nome que sugere uma junção entre Psicologia e Pedagogia. Contudo, a Psicopedagogia não é simplesmente a junção entre essas duas ciências. Ela pode ser mais amplamente definida como sendo “uma área de estudos voltada para o fenômeno da aprendizagem humana, tendo em conta os seus processos normais, as dificuldades e os transtornos que dificultam ou impedem o indivíduo de aprender normalmente”.  A Psicopedagogia, portanto, tem um objeto de pesquisa e de intervenção bem definido: a aprendizagem humana.

Ora, o ser humano se constitui, em todas as áreas de sua vida, através do processo de aprendizagem. Logo, vê-se que o objeto da Psicopedagogia é amplo e complexo, embora bem definido em sua essência.

A atuação do psicopedagogo
O Psicopedagogo pesquisa e atua sobre os processos de aprendizagem humana em todos os espaços em que ele ocorre, a saber: Em ambientes acadêmicos como escolas e universidades, hospitais, empresas e instituições de atendimento coletivo. Em todos esses espaços a aprendizagem é requerida.

O sentido de aprender não se limita ao de absorver informações de caráter teórico e científico, em ambiente acadêmico, mas estende-se a todas às aprendizagens ligadas à convivência humana, ao autoconhecimento e ao fazer profissional. Ou seja, os quatro pilares da Educação: aprender a aprender, aprender a conviver, aprender a ser e aprender a fazer. Estas quatro dimensões abrangem todos os espaços da convivência e da ação humana.

É bom esclarecer um ponto: O Psicopedagogo tem seu foco nas questões de aprendizagem. Este profissional não trata de depressão, ansiedade, síndrome do pânico ou qualquer outra patologia de cunho psicológico ou psiquiátrico. Embora ele deva ter conhecimentos teóricos que o ajudem a entender como tais patologias podem se manifestar e influir de modo negativo sobre a aprendizagem do sujeito, não compete a ele tratar diretamente destas questões. Isto extrapolaria sua competência. A ele compete, uma vez identificados sintomas ou sinais que apontem para a presença de uma dessas patologias, encaminhar para o profissional competente. Daí sua atuação ideal se dar em equipe multiprofissional.  

O conhecimento multidisciplinar
Embora a Psicopedagogia seja uma área de especialização quanto ao seu objeto de estudo, que é o processo de aprendizagem humana, no que diz respeito aos conhecimentos teóricos necessários ao psicopedagogo, para o exercício de sua função, ela é uma área multidisciplinar. O profissional desta área deve ser um ávido pesquisador-leitor das diversas ciências que o auxiliem na compreensão do fenômeno da aprendizagem, tais como a pedagogia, a psicologia, a linguística, a filosofia, a história, a sociologia, a neuroaprendizagem, dentre outras.

A formação do psicopedagogo
Evidentemente, cada psicopedagogo possui uma disciplina base em sua formação. Muitos são licenciados, professores das diversas áreas do conhecimento, outros são médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, pedagogos, dentre outros.

Certamente essa formação base influi sobre análise teórica e sobre a metodologia de ação de cada psicopedagogo para intervir sobre os problemas de aprendizagem específicos. De modo ideal o profissional deve atuar junto há uma equipe multidisciplinar.  

As modalidades de atendimento
A atuação do psicopedagogo se dá em duas modalidades básicas: na modalidade institucional e clínica.  Na modalidade clínica, geralmente realizada em ambientes exclusivos, as chamadas “clínicas psicopedagógicas”. Neste caso, o atendimento é individualizado, onde a pessoa que apresenta as dificuldades de aprendizagem é avaliada e conduzida através de um processo de intervenção que visa a superação das dificuldades diagnosticadas. Tal abordagem também pode ocorrer no interior de uma escola ou de outro espaço de alguma instituição. Nem por isso deixará de ser clínica, posto que é individualizada.

A modalidade institucional, é uma abordagem grupal, tendo em vista, no mais das vezes, os aspectos da convivência, da motivação, da eficiência e da eficácia das equipes. Além disso, estas ações podem ser preventivas ou corretivas.

No âmbito escolar é mais comum a adoção da abordagem institucional, posto que os profissionais desta área muitas vezes desempenham papéis de coordenação ou docência e atuam, sobretudo, na formação de professores e na orientação de estudantes e da comunidade escolar em geral.


Contribuição para a melhoria da educação
Como pode ser percebido, a partir da descrição acima, a Psicopedagogia e o profissional desta área vêm contribuir para o sucesso educacional com uma visão abrangente acerca da aprendizagem humana em todas as suas dimensões, investigando as causas da não aprendizagem e propondo ações de caráter corretivo ou preventivo, numa perspectiva institucional ou clínica.

Uma das formas mais comuns e eficazes de atuação do psicopedagogo nos ambientes escolares é através da oferta de cursos, palestras, atividades de orientação em grupos tanto de profissionais quanto de estudantes e da comunidade em geral.

É de suma importância, portanto, que se atente para necessidade desse profissional em todos os espaços de convivência e de aprendizagem humanas.

0 comentários:

Postar um comentário

LUCÉLIA MUNIZ FRANÇA
Blogueira, Professora e Microempresária. Membro da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Cadeira nº 35 que tem como Patrona a Professora e Artesã - Maria Constância da França Muniz. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri-URCA com habilitação em Matemática. Especialista em Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte-FJN.