quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Lampião - O Nordeste do Cangaço



No dia 28 de julho de 2009 completou setenta e um anos do falecimento de Virgulino Ferreira da Silva, conhecido popularmente como Lampião.

Lampião, um dos bandidos mais temidos e procurados, liderou um movimento social acontecido no nordeste brasileiro, o cangaço, comandando vários jagunços, que dominaram a região por mais de vinte anos, nos períodos entre os séculos XIX e XX.
O movimento surgiu após Lampião se alistar em tropa policial
a fim de vingar a morte do seu pai, contudo, ele não tinha boas intenções, pois queria se apoderar de bens e riquezas da região, tanto em terras como em objetos de viajantes que passavam pelo local, além de desafiar a força volante (polícia) e os coronéis.

O grupo armava tocaias, aguardando o momento certo para praticar as invasões e os assaltos. Com isso, se apropriava de terras, roubava joias, animais, causando verdadeiro terror pelos povoados. As armas usadas eram, além das espingardas, facas, punhais, cordas.

Fisicamente, os jagunços ficaram conhecidos pelas roupas de couro, adereços coloridos, chapéus característicos.

Por mais que a polícia tentasse dominar o sertão, acabar com o cangaço, não conseguia, pois suas tropas eram fracas perto dos atos de bravura e coragem de Lampião e seus cangaceiros.

O principal aspecto do movimento foi a luta contra a dominação dos poderosos coronéis e contra as autoridades do Ceará e da Bahia, que não tratavam as comunidades sertanejas com o respeito que mereciam.

Em 1930, Virgulino Ferreira da Silva casou-se com Maria Bonita, que foi a primeira mulher a participar do cangaço.

Lampião foi morto em 1938, pego numa emboscada da polícia, tendo sua cabeça decapitada e exposta para a população. Mesmo assim, o movimento continuou existindo através de seu seguidor, o Corisco, um de seus melhores amigos, porém com o objetivo de vingar a morte do amigo.

Em 1940 o cangaço chegou ao fim, com o extermínio de Corisco, encerrando a luta contra a dominação das forças policiais sobre a gente pobre e simples do sertão.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola


Eu estive em Serra Talhada-PE em julho de 2008.


3 comentários:

  1. OI LUCÉLIA!
    NÃO LI TODAS AS EMNSAGENS, MAS QUERO DIZER QUE O SEU BLOG TÁ MUITO BONITO.
    PROMETO ENTRAR MAIS VEZES.
    PARABÉNS PELA QUALIDADE DO TRABALHO!!!
    SEMPRE ACREDITEI NO TEU POTENCIAL.
    UM BEIJÃO!!!

    ANCHIETA DE MUNIZ, MIC.

    ResponderExcluir
  2. Achei o seu blog muito em te recante Lucélia parabéns tem de tudo um pouco cultura em formação sem ser de um jeito cansativo..oq faz comq agente se atraia mas pelo q esta escrito em se em volver mas com todos os texto..Bem pensado e elaborado..!

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)