quarta-feira, 14 de março de 2018

Série Elas por Elas com Jô Guimarães

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 14 de março de 2018
*Joelma Guimarães da Silva, natural de Juazeiro do Norte-CE onde reside.
* Designer de Calçados com formação em Administração de Empresas.

Entrevista
Ubuntu Notícias - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Jô Guimarães - As principais conquistas alcançadas pelas mulheres refletem, sem dúvida, um resultado de muita luta, determinação e resistência da mulher diante dos direitos que foram excluídos historicamente. No contexto atual aponto a questão da ocupação da mulher em cargos que antes eram ocupados apenas por homens; e, em destaque, a conquista da Lei que colocou a violência contra a mulher como crime sério e a diminuição da tolerância para punição aos agressores. A Lei Maria da Penha ganhou voz e mais espaço na proteção contra violência da mulher. Eu, enquanto mulher negra, vejo uma luta maior contra racismo e resultados, mesmo pontuais, para um maior empoderamento da mulher negra na sociedade

Ubuntu Notícias - E você, qual sua principal conquista enquanto mulher?
Jô Guimarães - A conquista maior é pessoal. Reconhecer melhor meus direitos, não abrir mão deles. Vendo tantas lutas pelos direitos da mulher de ir e vir, da raça, do trabalho, da educação e da cidadania. Hoje assumo minha raça negra com maior orgulho e clareza, minha independência em relação à profissão e busca de sonhos e conhecimentos que antes acreditava ser limitada a um espaço pequeno por ser mulher e negra.

Ubuntu Notícias - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Jô Guimarães - A mulher tem ocupado espaço em gradativo e as empresas hoje algumas delas optam por mulheres no comando devido a sensibilidade e organização e tantas outras conquistas que as mesmas tem alcançado. “Mas as mulheres vivem sem os homens.” A frase ilustra um fato cada vez mais comum. Muitas mulheres de classe popular são as pessoas fortes da casa. Algumas vivem sem marido; outras, como se não os tivessem.

Ubuntu Notícias - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Jô Guimarães - A educação é a principal ferramenta para grandes transformações. Vejo a necessidade das instituições e a mídia agregarem campanhas que promovam a valorização da mulher na sociedade e combatam a visão machista vigente.

Ubuntu Notícias - Deixe-nos uma mensagem neste Dia Internacional da Mulher.
Jô Guimarães - Direitos iguais e o combate a violência contra a mulher é colocar o respeito em prática.
http://www.ubuntunoticiasce.com.br/2017/08/ubuntu-noticias-oferecimento.html

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)