sábado, 31 de março de 2018

Série Elas por Elas com Adeciany Castro

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 30 de março de 2018
*Adeciany Castro é natural de Crato-CE onde reside.
* Bolsista do Laboratório de Pesquisa em História Cultural-  LAPEHC- Urca, graduanda do curso de História- URCA

ENTREVISTA
Ubuntu Notícias - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Adeciany Castro - Falar sobre as conquistas das mulheres nos leva a pensar, historicamente, uma série de episódios marcados por luta, dor e resistência feminina. A nós mulheres não fora concedido os direitos mais básicos para se viver dignamente. Não tínhamos direito a educação, não tínhamos direito ao voto, não tínhamos direito ao trabalho, não tínhamos direito a liberdade sexual. Não tínhamos o direito de ser uma mulher LIVRE. Por muito tempo não tivemos o privilégio de gozar de tais direitos. Entretanto, nos fora imposto deveres. O dever de ser mãe, o dever de ser doméstica, o dever de obediência, o dever de satisfazer os prazeres do homem, o dever de ser SUBMISSA. Aos poucos fomos conquistando espaço e voz na sociedade e continuamos caminhando diariamente para a subversão da lógica patriarcal. Portanto, destaco aqui, uma das conquistas essenciais na nossa história: A EDUCAÇÃO! Esta é uma poderosa ferramenta de empoderamento feminino e de contestação de paradigmas. USE-A!

Ubuntu Notícias - E você, qual sua principal conquista enquanto mulher?
Adeciany Castro - O ensino superior. Estar dentro da universidade abriu um leque de saberes para mim. Tirou a venda que cobria os meus olhos. Como falei anteriormente “A educação é uma poderosa ferramenta de empoderamento feminino e de contestação de paradigmas”. Hoje, posso me empoderar, contestar e contribuir!

Ubuntu Notícias - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Adeciany Castro - É angustiante falar sobre as terríveis situações enfrentadas por nós neste século. Apesar de muita luta e muitas mudanças, ainda precisamos avançar. E muito! O Brasil é o 5º país que mais mata mulheres no mundo.  Esse dado pode revelar as inúmeras situações cotidianas vivenciadas. Não estamos seguras, nem mesmo no nosso próprio lar. Somos assediadas, somos enjauladas, somos violentadas (fisicamente e psicologicamente), somos reprimidas e somos mortas pelo simples motivo de ser mulher.

Ubuntu Notícias - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Adeciany Castro - Quero responder à pergunta a partir do pensamento de Paulo Freire que diz “Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo”. Como futura educadora, acredito no ensino humanizador, no ensino voltado para a cidadania. Alunos do ensino básico precisam estar por dentro das discussões de gênero e sexualidade. Precisam mudar pensamentos/condutas (já impostas e incorporadas), intolerantes, misóginas, preconceituosas e machistas. Estes, por sua vez, levarão o aprendizado para outras pessoas.  (Repudio aqui, o projeto escola sem partido, a qual considero um retrocesso educacional).

Ubuntu Notícias - Deixe-nos uma mensagem neste Dia Internacional da Mulher.
Adeciany Castro - Mulheres de todo o mundo, uni-vos!
http://www.ubuntunoticiasce.com.br/2017/08/ubuntu-noticias-oferecimento.html

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)