domingo, 3 de maio de 2015

Como surgiram os cofres com a forma de porquinhos???

cofrinho em formato de porquinho
São estas as três hipóteses mais prováveis para o surgimento dos simpáticos cofres com o formato de porquinhos.

A primeira teoria remonta ao século XVII por obra e graça de um engenheiro francês chamado Sebastian la Pestre. Ao aplicar cálculos matemáticos sobre a elevada fertilidade dos suínos chegou a um resultado espantoso: num período de 10 anos uma boa matriz teria a capacidade de gerar 6 milhões de filhotes. La Pestre concluiu, então, que os porcos representariam à perfeição a ideia de economizar. Entrou filosoficamente para a História.
Uma confusão semântica também pode estar relacionada à invenção dos cofrinhos. Na era medieval os utensílios domésticos anglo-saxões eram fabricados com um tipo de argila avermelhada conhecida como pygg. Nessa época havia o hábito de se guardar moedas em potes e vasilhas feitas desse material. A semelhança óbvia com a palavra pig, que no idioma inglês significa porco, teria dado origem à ideia de se fabricar os cofres.

Por fim, a teoria da tradição, que também tem bastante lógica e é tida pela maioria como a mais razoável.
Povos antigos sempre tiveram o hábito de criar porcos no quintal como uma primitiva forma de “poupança”. Os bichos não davam tanta despesa, pois se alimentavam de restos da casa, viviam bastante tempo e se reproduziam muito. Nas épocas de aperto serviam como moeda de troca ou acabavam pura e simplesmente na panela. Toda família precavida tinha seus porquinhos no terreiro.
cofrinho sendo aberto
Quando a circulação do dinheiro começou a se disseminar as famílias perceberam que, ao invés de manter criações de suínos, dava menos trabalho vender os animais e guardar o dinheiro. Já vimos que as pessoas escondiam seus pertences em potes de cerâmica. Daí para os artesãos começarem a modelar os bichinhos, foi um pulo.

O uso dos cofres com o formato de porquinhos tornou-se tão popular na antiga Grã-Bretanha que rapidamente espalhou-se para o restante da Europa e pelo mundo. Até os dias de hoje é utilizado e não perde a atualidade. Talvez seja a primeira imagem que surge no cérebro quando se é estimulado a pensar em alguma forma poupança.
R$ 603,00 retirados de um cofrinho em moedas de R$ 1,00
Quando se pensa em ensinar uma criança a economizar, guardando moedas em um cofrinho, a primeira imagem que nos vem à cabeça é a de um porquinho, de cerâmica ou louça, com uma fenda nas costas.

Qualquer que seja a verdadeira história do cofre de porquinho, o fato é que este objeto sofreu muitas evoluções. Hoje em dia até mesmo o cofre mais comum já possui novas tecnologias.
A exemplo do cofre digital, que possui até mesmo fechadura eletrônica e leitor biométrico, além dos cofres desenvolvidos para fins específicos ou sob encomenda.
Independente do desenvolvimento deste equipamento, guardar os seus bens em cofres ainda é considerado um dos meios mais seguros de proteção aos seus pertences.

Fontes:

2 comentários:

  1. Que engraçado, nunca tinha parado pra pensar sobre isso. Muito intrigante hehe
    :) Beijos.

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)