sexta-feira, 4 de fevereiro de 2022

A implantação da Educação em Tempo Integral no Estado do Ceará: uma estratégia para a melhoria da aprendizagem

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 04 de fevereiro de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__ @peluis_plf

No 1º dia da Jornada Pedagógica da EEMTI Padre Luís Filgueiras de Nova Olinda-CE tivemos a oportunidade de conferir através do App Google Meet a Palestra “A implantação da Educação em Tempo Integral no Estado do Ceará: uma estratégia para a melhoria da aprendizagem”, proferida por Zeneide Batista - Bióloga com Especialização em Gestão Escolar, Superintendente Escolar.

A seguir peguei alguns destaques dos slides usados pela palestrante Zeneide Batista da 18ª CREDE e vou enunciá-los:

A Educação Integral constitui ação estratégica para garantir atenção e desenvolvimento integral (...) aos jovens, sujeitos de direitos que vivem uma contemporaneidade marcada por intensas transformações (....) Ela pode se dar por meio da ampliação de tempos, espaços e oportunidades educativas que qualifiquem o processo educacional e melhorem o aprendizado dos alunos. (BRASIL, 2009a, p. 88)

Um dos principais ícones motivadores para a criação do Tempo Integral foi o de proporcionar aos educandos melhorias em seus resultados de aprendizagem, por meio da ampliação do tempo, buscando ajudar aqueles alunos que possuem mais dificuldades na aprendizagem e, assim, sanar suas dúvidas e obter melhores resultados. (Santiago, 2016, p. 41)

“… A Proposta Pedagógica da Escola de Ensino Médio em Tempo Integral deverá estruturar seu Projeto Pedagógico, a partir de três dimensões fundantes da prática educativa: a escola como Comunidade de aprendizagem; a Aprendizagem Cooperativa como método pedagógico estruturante e o protagonismo estudantil como princípio imperativo para a proposta de ensino médio...”

LEGISLAÇÃO

- O Plano de Universalização da Escola em Tempo Integral do Ceará está alicerçado em premissas de conversão, que tem como objetivo considerar todas as escolas de Ensino Médio Regular da rede e definir a lista de escolas elegíveis para conversão até 2024, visando atender à:

Lei Nº 16.287/2017: Institui a Política de Ensino Médio em Tempo Integral no âmbito da Rede Estadual de Ensino do Ceará.

- Meta 6 – PNE: oferecer educação em tempo integral em, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das escolas públicas, de forma a atender, pelo menos, 25% (vinte e cinco por cento) dos(as) alunos(as) da educação básica.

- Meta 6 – PEE: Oferecer, até 2024, em regime de colaboração, Educação em Tempo Integral em, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das escolas públicas e instituições de educação infantil, de forma a atender, pelo menos, 25% (vinte e cinco por cento) dos estudantes da educação básica.

As unidades curriculares eletivas devem propor assuntos diversificados, com o intuito de conectar o jovem com a escola e com o mundo que o cerca. Por meio delas, os alunos poderão desenvolver sua inteligência emocional e seu raciocínio crítico, aliados à habilidade de expressão e inteligência numérica.

Além disso favorecem:

O pertencimento ao ambiente escolar;

liberdade de escolha;

O fortalecimento da autoestima;

A contribuição para a sondagem de aptidões;

A construção de um itinerário identitário;

A possibilidade de melhor direcionamento para o projeto de vida.

Onde encontrar materiais de apoio para as eletivas

https://www.seduc.ce.gov.br/escolas-de-ensino-medio-em-tempo-integral/

Lei Nº 16.287, de julho de 2017, que institui a política de Ensino Médio em Tempo Integral no âmbito da rede estadual de ensino do Ceará

Projeto Politico Pedagógico do Ensino Médio em Tempo Integral

Matriz EEMTI 2021

Catálogo dos Componentes Eletivos 2021

Fascículos da Coleção Componentes Eletivos Fundantes

https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/70268199

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário logo abaixo! Sua interação é muito importante!