quinta-feira, 11 de junho de 2020

Programa Círculos de Leitura na EEEP Wellington Belém de Figueiredo em tempos de pandemia | NOVA OLINDA-CE

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 11 de junho de 2020
O relato que segue nesta matéria é da Professora Luciana França, regente da Biblioteca da Escola Estadual de Educação Profissional Wellington Belém de Figueiredo localizada em Nova Olinda-CE.

Nesse período pandêmico fomos orientados pelos Coordenadores do referido programa (Instituto Braudel/SEDUC/CREDE 18) a realizar grupos de leitura via WhatsApp e/ou App Google Meet, fazendo atendimento aos alunos multiplicadores dos círculos de leitura na escola para momentos de reflexão e socialização da leitura de módulos.

Esses momentos de reflexão são realizados a partir da leitura de cada módulo que dá sequência com escrita de cartas dos alunos.

Na ocasião, tivemos a oportunidade de realizar a leitura dos seguintes módulos: Caminho de Ulisses, construído a partir do livro A Comédia Humana, de William Saroyan; e, também a leitura do módulo construído a partir do livro O chão adormecido no baú de sonhos, da escritora Eliane Fonseca.

Dessa forma, podemos mergulhar na leitura de algumas cartas reflexivas dos nossos alunos multiplicadores:

Módulo Caminho de Ulisses, retirado do livro A Comédia Humana, de William Saroyan.
Queridos colegas,
Percebo através da visita de Ulisses à Igreja que a beleza do dia a dia mostra-se invisível aos nossos olhos diante da correria do cotidiano. A primeira vista, as coisas aparecem diante de nós sem sentido. Em outras palavras, tudo parece ser tão igual.
Assim, nesses tempos de pandemia, como o personagem Ulisses, vou aos poucos me engajando nesse processo em que tudo se repete, nesse processo de repetição. Desperto, então, para a renovação dos fatos, no momento em que lembro da cena diária da estação de trem vivida por ele. Sempre estando na estação de trem acenava, sem resposta, quando um certo dia recebeu um simples aceno de volta de um homem que cantarolava feliz. Aceno esse que me abre os olhos para as mudanças dos fatos cotidianos.
Vejo-me, também, nos trechos que fala dos nossos sonhos de infância. Lugar em que nossas melhores lembranças são de pessoas que nos fizeram o bem e que as temos como verdadeiros heróis. Muitas vezes esses momentos marcantes de doces lembranças são de pessoas que talvez tenhamos visto apenas uma vez na vida. E, depois quem sabe? Talvez o vejamos novamente apenas em sonhos para fortalecer a nossa confiança em seguir, livrando-nos de vários outros perigos. Muitos criados pela nossa mente, quando adultos.
Um forte abraço.
Evelyn Alencar - aluna do 2º Ano de Redes de Computadores

Módulo O chão adormecido no baú de sonhos, readaptação do livro da escritora Eliane Fonseca.
Caro Aldênio, Luciana e colegas do círculo de leitura,
Durante o estudo do módulo O chão adormecido no baú de sonhos, podemos sentir a simplicidade e humildade da personagem Teresinha. Uma criança bem sensata que nos faz pensar sobre nossas ações e na maneira como tratamos os outros.
Aprendemos sobre “ter” e “fazer” chão no momento em que a personagem Sá Antonia nos mostra a importância de estarmos atentos a realidade, de saber sonhar e agir de acordo com o que vivemos.
No capítulo “A barriga forrada” vemos a importância da compreensão. É necessário compreendermos os outros para que estes sintam-se seguros, confortáveis e fiquem bem. Momento em que podemos associar o fato narrado, nesse capítulo, ao poder que a nossa mente tem sobre nós.
Em nossas vidas e, ainda, mais no momento em que estamos vivendo é necessário termos calma para não deixarmos nossa mente adoecer. É necessário mais do que nunca a compreensão para entender o momento, nossa vida, nossos colegas e familiares. Precisamos ajudar! E, como a personagem Teresinha, vamos manter a calma e desfrutar de bons momentos. Vamos aproveitar a viagem, cada ensinamento.
Abraços para todos.
Atenciosamente,
Joyce Gomes - aluna do 2º Ano D de Edificações

Parabenizo ao grupo de alunos multiplicadores engajados nas atividades do programa e, também a coerência durante a participação nos encontros.  
Profª Luciana Muniz da França - mediadora do programa na EEEP Wellington Belém de Figueiredo, em Nova Olinda/CE.

0 comentários:

Postar um comentário

LUCÉLIA MUNIZ FRANÇA
Blogueira, Professora e Microempresária. Membro da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Cadeira nº 35 que tem como Patrona a Professora e Artesã - Maria Constância da França Muniz. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri-URCA com habilitação em Matemática. Especialista em Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte-FJN.