sábado, 24 de março de 2018

Série Elas por Elas com Talita de Morais

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 24 de março de 2018
*Talita de Morais é natural de Acopiara–CE e reside no município de Crato-CE.
*Professora com formação em Ciências Sociais.

ENTREVISTA
Ubuntu Notícias - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Talita de Morais - As conquistas femininas são fruto das lutas de muitas mulheres que transformaram a sociedade em que vivem. Conquistas como o direito ao voto, ao divorcio, à educação e ao trabalho, de forma geral, uma suposta igualdade de direitos.  Não podemos esquecer-nos da Lei Maria da Penha (nº 11.340/2006) que “cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher” e a Lei 13.104, da qual “prever o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio”.

Ubuntu Notícias - E você, qual sua principal conquista enquanto mulher?
Talita de Morais - Minhas conquistas não estão completamente concluídas, hoje eu tenho liberdade de trabalhar, me divertir e o direito de ir e vir, mas não tenho segurança de que chegarei bem ao meu destino, seja minha casa ou meu trabalho. Quero ter liberdade de andar com a roupa que eu quiser, sem ser justificativa para que um agressor me estupre por estar com uma saia curta. Minha principal conquista é de âmbito social quando ser mulher não seja razão para qualquer tipo de violência física ou mental.

Ubuntu Notícias - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Talita de Morais - Mesmo com as conquistas já falada anteriormente muitas dificuldades são enfrentadas todos os dias. As mulheres são as maiores vítimas de violência doméstica no nosso país, muitas vezes, somos vistas apenas como “corpos” que podem ser violados/tocados sem a nossa autorização. Essas dificuldades são vistas como naturais na nossa sociedade, desconstruir isso é um grande desafio.

Ubuntu Notícias - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Talita de Morais - O acesso à educação ensina que direito não são favores e que a opressão feminina (que disso decorre a violência e a desigualdade de gênero) fere o direito da mulher de ser tratada de forma digna, a torna dona do próprio corpo e dos rumos de sua vida.

Ubuntu Notícias - Deixe-nos uma mensagem neste Dia Internacional da Mulher.
Talita de Morais - Seja livre, seja forte!
http://www.ubuntunoticiasce.com.br/2017/08/ubuntu-noticias-oferecimento.html

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)