terça-feira, 27 de maio de 2014

O uso das Redes Sociais e suas implicações profissionais e pessoais

Se por um lado, as Redes sociais encurtaram distâncias e nos colocaram em contato com o mundo, por outro lado nos deixam distantes, presos ao meio virtual.
Estamos cada vez mais distante das pessoas que estão até mesmo ao nosso lado...
O bip dos celulares são cada vez mais constantes... ops... WhatsApp em ação (WhatsApp Messenger é um aplicativo de mensagens multiplataforma que permite trocar mensagens pelo celular sem pagar por SMS).
E a conversa olho no olho já era... tão próximos e ao mesmo tempo distantes... é assim que se dá as novas relações sociais!
Ontem foi atualizar meu Currículo Lattes (A Plataforma Lattes é uma plataforma, criada e mantida pelo CNPq que integra as bases de dados de currículos, grupos de pesquisa e instituições, em um único sistema de informações, das áreas de Ciência e Tecnologia, atuando no Brasil) e, para minha surpresa tinha um campo para preencher com o link que dá acesso ao meu Facebook. Portanto, cuidado com o que você está postando no Perfil do seu Facebook, isso diz muito sobre sua personalidade. Muitas Empresas ao realizarem entrevistas com candidatos a vagas de emprego visitam o perfil dos mesmos para conhecerem mais sobre a personalidade da pessoa.
Sem falar dos crimes eletrônicos e para tais infrações tem lei, viu!
Crime informático, e-crime, cybercrime, crimes eletrônicos ou crime digital são termos utilizados para se referir a toda a atividade onde um computador ou uma rede de computadores é utilizada como uma ferramenta, uma base de ataque ou como meio de crime.
Estas categorias não são exclusivas e muitas outras podem ser caracterizadas com tais, desde que apresentem algumas características acima indicadas. Adicionalmente embora os termos crimes eletrônicos ou cybercrimes sejam mais apropriadamente utilizados para descrever atividades criminais que façam o uso de computadores ou de uma rede de computadores, estes termos também são utilizados para descrever crimes tradicionais, tais como fraudes, roubo, chantagem, falsificação e apropriação indébita, na qual computadores ou rede de computadores são usados para facilitar as atividades ilícitas.
Segundo Guimarães e Furlaneto Neto, Crime Informático significa: "qualquer conduta ilegal, não ética, ou não autorizada que envolva o processamento automático de dados e/ou transmissão de dados". Essa categoria de crime apresenta algumas características, dentre elas: transnacionalidade – pois não está restrita apenas a uma região do globo - universalidade – trata-se de um fenômeno de massa e não de elite - e ubiquidade – ou seja, está presente nos setores privados e públicos.
O crime por computador pode acarretar danos tanto pessoais como empresariais. Os danos pessoais são obtidos no envio de mensagens com conteúdo pejorativo, falso ou pessoal em nome da pessoa, utilizando somente os dados dos e-mails, na movimentação de contas bancárias com o intuito de fazer transações, saques ou até mesmo pagamento de contas, na utilização de dados de cartão de crédito para fazer compras e na divulgação de fotos ou imagens com intenção de causar danos morais.
As empresas também sofrem com estas invasões nos seus dados e informações confidenciais. Os crimes ocasionam não somente danos financeiros, mas também danos empresariais, visto que as organizações têm que fazer novamente a manutenção das máquinas danificadas.
Podemos categorizar tais crimes em dois tipos básicos: crimes cometidos utilizando o computador como ferramenta para cometer a infração e aqueles que o crime é cometido contra o computador em si, o objeto é danificado ou prejudicado de alguma forma. De um modo geral crimes informáticos podem ser definidos como toda a atividade criminal que envolva o uso da infra-estrutura tecnológica da informática, incluindo acesso ilegal (acesso não autorizado), interceptação ilegal (por meio de uso de técnicas de transmissão não públicas de dados de computador, para, de ou fora do sistema de computadores), obstrução de dados (danos a dados de computador, deteriorização dos dados, alteração ou supressão da dados de computador), interferência nos sistemas (interferência nos sistemas de computadores quanto a entrada de dados, transmissão, apagamentos, deteriorização, alteração ou supressão de dados de computador), uso indevido de equipamentos, falsificação de IPs e fraude eletrônica.”
Penso que a palavra correta seria reeducar às pessoas para o uso das Redes Sociais. A cena mais comum que tenho presenciado em palestras, eventos científicos tem sido a de um Palestrante conduzindo e/ou ministrando um conteúdo e algumas pessoas online sem dá a devida atenção...
Até pessoas editando imagens enquanto acontecia uma Palestra já pude observar... Então reflito, o Palestrante estuda, se organizar para conduzir um determinado assunto e as pessoas estão conectadas ao Facebook conversando com alguém pelo bate-papo!
Difícil de entender, o importante mesmo é compreender que:
Tem que ter FOCO
“A dimensão que as redes sociais atingiram coloca esse veículo de comunicação como um dos mais importantes na atualidade e através dele revoluções foram iniciadas e até ditadores foram depostos.”
Fique de Olho
“Para os jornalistas, o mundo conectado nos permitiu chegar ainda mais fácil as fontes, conhecê-las – mesmo que virtualmente – disseminar informação e ter acesso a elas de maneira mais rápida. Contudo, utilizar os blogs, o ‘você repórter, e os twitteiros de plantão, como fonte de informação, não é o melhor caminho, pois eles podem propagar informações duvidosas, requerendo do jornalista um segundo trabalho de investigação. Mesmo assim, o ofício puramente jornalístico de disseminar a informação está sob a tutela de quem a possuir, desde o surgimento das redes sociais.”
Fato!
“É possível arrumar um emprego ou matar a saudade de alguém que está morando ou passeando em outro país sem ter que pagar muito caro por isso. Além disso, através das redes sociais é possível conhecer outras culturas e aprender a conviver com as diferenças.
As redes sociais podem operar em níveis diferentes, pois existem as redes de relacionamento e também as redes profissionais, por exemplo. O que elas têm em comum é o compartilhamento de informações, conhecimentos e interesses em comum.”
Então, mudar a postura diante do uso das Redes Sociais, ainda é um desafio... Na chamada Sociedade da Informação se faz necessário nos reeducar diante de uma diversidade constante de novas tecnologias!

Professora Lucélia Muniz

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)