sábado, 4 de junho de 2022

EEMTI Padre Luís Filgueiras de Nova Olinda-CE classifica trabalhos no FESTIVAL ALUNOS QUE INSPIRAM/FASE REGIONAL – VI EDIÇÃO – 2022

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 04 de junho de 2022

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__ @peluis_plf

O VI Festival Alunos que Inspiram é uma iniciativa que visa identificar, valorizar e dar visibilidade à produção artística e cultural dos estudantes matriculados na rede pública estadual de ensino do Ceará.

A Segunda Etapa da Fase Regional aconteceu no dia 1º de junho no teatro do SESC Crato, das 8h às 12h30 à Rua André Cartaxo, 443 - Palmeiral.

E na quinta-feira (02), a CREDE 18 divulgou o resultado dos TRABALHOS SELECIONADOS na FASE REGIONAL DO FESTIVAL ALUNOS QUE INSPIRAM – VI EDIÇÃO – 2022.

Aproveito aqui para parabenizar os estudantes que tiveram trabalhos selecionados em especial, os estudantes da EEMTI Padre Luís Filgueiras de Nova Olinda-CE:

Na Categoria FOTOGRAFIA

A BOLHA

JOAO VITOR GONCALVES DE SOUSA

Nas palavras do estudante João:

“Fotografia para mim sempre foi uma maneira de me comunicar, me expressar e conversar, porém sem usar uma palavra. Isso porque as imagens têm a capacidade de ativar gatilhos que muitas vezes nem sabemos que existem. Assim, através da fotografia, sempre busquei transmitir uma mensagem, trazer uma reflexão.

E daí vem a pergunta: "O que é a bolha?"

Bom, eu digo que a vida consiste em uma eterna busca de si, de se reconhecer e de ser quem é... passamos a vida tentando entender quem e, por consequência, por que somos, enquanto lutamos para manter a própria e, por vezes, desconhecida essência. Somos até capazes de calar a própria voz e deixar que decidam por nós a razão de estar aqui.

Na imagem, trago um pequeno elemento, ele não ocupa muito espaço e está cabisbaixo sob uma luz. O resto é escuridão, desconhecido. Essa é exatamente a vida de alguém que não sabe quem é, que permite que escolham por si, que não consegue mais levantar a própria cabeça e olhar em volta, que não pode mais enxergar nada além da bolha em que vive.

Quantos de nós estamos agora agachados, cabisbaixos sob uma mesma luz que dita quem e, por consequência, por que somos? Admitir que todos vivemos em bolhas é o primeiro passo em direção da liberdade, do desconhecido. Se busco, afinal, trazer uma reflexão, eu pergunto: em que bolhas vocês vivem?

Na categoria DANÇA

CAÇADOR DE BORBOLETAS

DAVID MESSIAS LEITE XAVIER

MARIA VITORIA DE OLIVEIRA FERREIRA

LAIS PAKILA ALVES SANTOS

YURI ATHILA GUEDES MUNIZ

JOSE BRUNO VIANA DOS SANTOS

Nas palavras do estudante Yuri Áthila:

Essa é apenas, talvez a minha, talvez exatamente, bom, eu sou Yuri Áthila, o escritor dessa história, mas essa não começa aqui. Ela foi contada por mim, mas vivida por todos nós, todos os dias, ao menos é que os jornais mostram, ela foi escrita pelo nosso sangue.

Eu pensei em escrever essa história inspirada na minha realidade, e na realidade de muitos adolescentes que choraram em meus ombros, em um corredor de uma escola.

Milhares de vidas vivendo em um caos. Aonde estão as borboletas? Aí você me pergunta, que borboletas? Aquelas que no secreto, nos pequenos detalhes de sua vida fazem sua barriga pirar, sua adrenalina, a sensação de estar vivo e não sobrevivendo...

A vida perde o sentindo, as cores, a vida, em uma fase depressiva, porque você não sente nada, e as borboletas morrem, e você acaba virando um boneco sem sentimentos, sem o viver, mas no fundo todos nós temos a nossa própria chance de nos fazermos felizes!

Eu te pergunto, por que você caça suas próprias borboletas?

Por que não ser feliz?

Por que você mesmo se condena?

Por medo, angústia?

Seja feliz, viva, sinta cada momento, viva cada sensação, voe pequena borboleta!

Para conferir a relação dos trabalhos selecionados na íntegra, clique no link abaixo:

CLASSIFICAÇÃO

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário mais seu nome completo e localidade! Sua interação é muito importante!