domingo, 7 de março de 2021

Toda LUTA tem HISTÓRIA! Por mais RESPEITO! Pelos nossos DIREITOS! | DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Lucélia Muniz

Ubuntu Notícias, 07 de março de 2021

@luceliamuniz_09 @ubuntunoticias @agenciaclick__

Neste dia 08 de março comemoramos o Dia Internacional da Mulher e começo a escrever esta matéria e  convido você para uma reflexão que deve ser diária, não se restringindo apenas a esta data. Não nos limitemos aos presentes e mensagens recebidos hoje. Os presentes – chocolates, flores, mensagens – é uma forma de carinho, de agrado, mas vamos fazer um enfoque sobre o respeito e os nossos direitos?

Ainda neste contexto pandêmico não posso deixar de lado uma questão a ser frisada em se tratando de respeito e direitos. Infelizmente em meio a esta pandemia tanto o número de homicídios de mulheres como de feminicídios foi crescente.

“Nos primeiros seis meses de 2020, 1.890 mulheres foram mortas de forma violenta em plena pandemia do novo coronavírus – um aumento de 2% em relação ao mesmo período de 2019. O número de feminicídios, quando as mulheres são mortas pelo simples fato de serem mulheres, também teve uma leve alta. Houve 631 crimes de ódio motivados pela condição de gênero”. [G1. Assassinatos de mulheres sobem no 1º semestre no Brasil]

Pode ser impactante começar uma matéria com uma abordagem tão crua. Mas se doeu, é pra lembrar que não são apenas números, são vida ceifadas. São pessoas que tiveram sua missão interrompida, são histórias silenciadas. São famílias que carregarão para sempre uma cicatriz na alma, a dor do luto.

Quando acordamos todos os dias, temos que nos vestir de coragem! Coragem para enfrentar um mundo que nos julga desde a nossa condição de gênero. Do assédio moral ao assédio sexual. Da violência física a violência psicológica. Da rotina dos lares, as redes sociais, ao ambiente de trabalho.

“Na prática, hoje em dia, as mulheres ainda encontram problemas estruturais, antigos e novos, que dificultam a busca por igualdade social em todos os aspectos. Apesar da popularização dos debates sobre a igualdade de gêneros, o feminismo e o combate ao machismo, ainda é comum ler e ouvir relatos sobre desigualdades salariais, violência sexual, feminicídio, baixa representatividade política, entre outros”. [Estratégia ODS. Os desafios das mulheres na atualidade]

Em se tratando da luta pelos nossos direitos, a luta que já assegurou muitos direitos persiste pela garantira destes mesmos direitos. O ativismo, organizações sociais, mobilizam e fortalecem este movimento, a exemplo da Marcha das Margaridas e a das Mulheres Negras que levam milhares de militantes a Brasília para reivindicar políticas públicas.

“O feminismo é um tema que ganha cada vez mais força na sociedade brasileira. Na internet e nas ruas, mais brasileiras estão se manifestando em defesa da igualdade de gêneros e do fim da violência”. [Agência Brasil. Os desafios da mulher brasileira]

Nós não podemos “normalizar” um contexto ainda permeado de muitas injustiças e de casos/situações que ferem nossa condição humana, nossa condição de existência. Não está tudo bem, quando ainda lutamos para assegurar o que deveria ser de direito.

FONTE

Agência Brasil. Os desafios da mulher brasileira. Acesso em 06 de março de 2021. Disponível em: http://memoria.ebc.com.br/mulherbrasileira

Estratégia ODS. Os desafios das mulheres na atualidade. Acesso em 06 de março de 2021. Disponível em: https://www.estrategiaods.org.br/article/os-desafios-das-mulheres-na-atualidade/

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário logo abaixo! Sua interação é muito importante!