segunda-feira, 8 de julho de 2019

Conheça o Poeta Daniel do Assaré

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 08 de julho de 2019
“Foi no sul do Ceará
Nascido dentre os encantos
Que cresci ouvindo os cantos
Do ninho do sabiá.
Assim que raiava o dia
Eu sentia a poesia
Com toda a sua riqueza
Nos versos eu transcrevia
Tudo aquilo que eu sentia
Nos traços da natureza”.

Poeta e cordelista Cearense, Daniel Gonçalves da Silva (Poeta Daniel) nasceu em Assaré-CE, a 15 de junho de 1986. Começou a escrever cordéis com oito anos de idade, e poemas na idade adulta. Aos 30 anos publicou seu primeiro cordel, ainda que tivesse uma produção de vários cordéis prontos.

Daniel tem publicado até agora, quatro cordéis, “Ao meu avô ”(2017) em homenagem ao seu avô Patativa do Assaré, “Ao mestre Espedito Seleiro” (2018) em homenagem ao amigo  Espedito Seleiro, “Maria Antonieta”(2018) relatando a respeito do preconceito e “O santo do povo”(2019) relatando a trajetória do Padre Cicero, todos publicados em parceria com o Sesc Crato e Secretaria de Cultura de Assaré.
Em 2019 lançou seu primeiro livro “Ser tão sertão”, que é uma coletânea de poemas, cordéis e sonetos escritos durante sua vida.

Seus cordéis foram lançados em eventos de praça pública, o poeta afirma que “A feira de cordel é um dos lugares mais democráticos que conheço”. Assim é viável lançar em praças, feiras livres, onde todos possam ter acesso e assistam sua arte.

Seus poemas relatam a vida do seu povo, seja relativo a alegria ou as lutas contra as injustiças dos dias atuais.

Seus poemas utilizam de sentimentalismo por diversas vezes, mergulhado em uma nostalgia que envolve dias atuais e momentos vividos de alegria por seu povo em tempos atrás.

O poeta trabalha atualmente como Radialista (Patativa FM 105,9) e Memorial Patativa do Assaré, onde relata a trajetória do poeta Patativa e o convívio com o ilustre Avô.

Há cinco anos ministra palestras a respeito do Poeta Patativa onde o mesmo faz uma viagem por toda a poesia nordestina envolvendo a construção de poesias e cordéis e declamações, suas e de diversos poetas nordestinos dentre eles os clássicos do poeta Patativa “A muié que eu mais amei” “Ingém de Ferro” “Maria gulora” “O boi zebu e as formigas” “Mãe preta” dentre outros. Pelo fato da palestra ser no campo da poesia, ela abrange um público que varia desde crianças, alunos, adultos e amantes que já possuem uma atenção pela poesia.

O poeta ainda afirma!
Quer conhecer poesia
Passe pelo meu torrão
Aqui um verso se cria
Que nem a rama no chão.
Quem não veio ao Assaré
Pode até ter muita fé
Mas na hora da subida,
Vai morrer arrependido
Por ter na terra esquecido
Um dos primores da vida.

0 comentários:

Postar um comentário

LUCÉLIA MUNIZ FRANÇA
Blogueira, Professora e Microempresária. Membro da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Cadeira nº 35 que tem como Patrona a Professora e Artesã - Maria Constância da França Muniz. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri-URCA com habilitação em Matemática. Especialista em Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte-FJN.