sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Novo-olindense colhe uvas no quintal de casa e fabrica seu próprio vinho

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 08 de fevereiro de 2019
O novo-olindense, Francisco Adriano de Lima Souza, cultiva e colhe várias frutas no próprio quintal de casa. Ele que reside no Sítio Tabocas em nosso município, Nova Olinda, mantém no que o mesmo chama de Quintal Sustentável, uma variedade de frutas cultivadas de forma orgânica.
Adriano deixa claro que não utiliza agrotóxicos, fazendo apenas a poda das árvores para recobrir o solo e utilizando-se de um sistema de irrigação de gotejamento e enxertia para manter seu quintal produtivo durante todo o ano.
O que chama mesmo a atenção é o fato dele estar cultivando frutas não típicas de nossa região, inclusive a uva e, fabricando seu próprio vinho. Numa área de 16x50 metros, num período de 01 ano e 08 meses, Adriano, plantou e desfruta da colheita de mamão, laranja, goiaba tailandesa, gigante, goiaba roxa, pinha, atemóia, graviola, cacau, maracujá, mandioca, cana de açúcar, banana de 07 espécies diferentes, feijão, batata doce, abacate, limão, maçã, cajá, manga, caju, abacaxi, morango, pimenta, coco, oliveira, catolé, macaúba, pitaia e da uva niagara rosa – própria para a fabricação do vinho.
Adriano colhe uvas em seu Quintal Sustentável e as submete ao processo de fermentação de onde obtém o vinho. Sendo todo esse processo de forma natural e orgânica não se utilizando de corantes ou outras substâncias. Ele me falou que adiciona apenas açúcar para obter um vinho suave, pois caso contrário iria obter o vinho seco.
Tudo começou com um sonho, uma paixão para cultivar uvas! Adriano não tinha condição de adquirir o conhecimento através de uma consultoria onde o mesmo pudesse montar um projeto. Ele que é evangélico foi presenteado por um pastor com uma muda de videira. Dessa videira começou algumas experiências, fez pesquisas na internet, viu surgir após as primeiras podas, os primeiros cachos de uvas.
Das pesquisas oriundas de sua curiosidade aprendeu a enxertar a uva garantindo várias mudas da videira que ganhou do pastor. Sendo evangélico e sabendo da tradição do povo de Israel de beber vinho como vemos em várias passagens bíblicas, concretizou mais um sonho, o de fazer seu próprio vinho. Suas pesquisas foram então, de encontro ao conhecimento sobre o processo de fermentação da uva para garantir a fabricação do vinho, inclusive esteve no Vale do São Francisco para visitar os vinhedos e ver como se dá a fabricação do vinho nesta localidade.
Sobre fabricar seu vinho para comercializar, Adriano disse que já até pensou em um nome para colocar no rótulo das garrafas, dizendo pensar em chamar de Vinho Nabote em homenagem a “um típico exemplo de um verdadeiro israelita, que dava valor à sua vinha que era sua herança e deleite passados a ele por seus pais (Dan. 2:23), mas que era realmente um dom de Jeová”.
Me disse obter de 10 a 12% de álcool em cada litro de vinho no processo de fermentação da uva. Fez também uma estimativa para o futuro, onde de acordo com sua análise, com 100 pés de videira conseguiria produzir 600 litros de vinho por ano. Fabricando o que chama de vinho natural sem utilizar aditivos no processo, ele diz que fermenta a uva durante 40 dias.
O nordestino é assim: faz do sonho curiosidade, engenhosidade, e o resultado é de maravilhar os olhos e por que não dizer, de aguçar o paladar! Tim, tim!  

5 comentários:

  1. Gostaria de visitar este sitio, poderia me enviar o contanto de Adriano?

    ResponderExcluir
  2. O contato de Adriano é (88)9 9730 8294.

    ResponderExcluir
  3. Parabens pra esse irmao.e um orgulho pra uma cidade.e pra todos nos.ter pessoas capazes de fazer mudanças.e realizar sobhos.deus os abençoi sempre.irmao.que apaz de deus.e agraças do nosso grande pai.esteja presente em toda sua vida.

    ResponderExcluir
  4. Louvado Seja Deus Muito Feliz por Adriano,já nos conhecemos de tempos antigos e hoje vê que assim como eu hoje Serve a Deus e tem colhido das bênçãos do Senhor,pois tudo isso é a mão de Deus!!!

    ResponderExcluir

LUCÉLIA MUNIZ FRANÇA
Blogueira, Professora e Microempresária. Membro da Academia de Letras do Brasil/Seccional Araripe-CE, Cadeira nº 35 que tem como Patrona a Professora e Artesã - Maria Constância da França Muniz. Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Regional do Cariri-URCA com habilitação em Matemática. Especialista em Matemática e Física pela Faculdade de Juazeiro do Norte-FJN.