quinta-feira, 31 de maio de 2018

Homenagem ao Poeta Mestre Geraldo Gonçalves de Alencar (10/09/1945 a 11/05/2018)

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 31 de maio de 2018
Fonte: Secult Assaré/Cariri Cult
MESTRE: Geraldo Gonçalves de Alencar
Nome Artístico: Geraldo Gonçalves Poeta
Ofício: Literatura Popular
BIOGRAFIA DO MESTRE
Geraldo Gonçalves de Alencar (Geraldo Gonçalves) nasceu em 10 de setembro de 1945, em Serra de Santana município de Assaré-CE, sendo o segundo filho do casal José Gonçalves de Alencar e Maria Risalva de Alencar. Desde criança lia apaixonadamente tudo quanto era cordel "a minha infância foi toda voltada para os folhetos" (Geraldo).  O mestre se inspirava nos grandes sonetistas, em poetas matutos e líricos, para fazer seus cordéis e sonetos de amor, embora também escrevesse sobre o religioso, o social e outras temáticas.
Começou a versejar ainda na adolescência. Com 23 anos de idade se notabilizou como poeta depois que produziu o poema lírico com o título: “Nosso Ranchinho”. Na fase seguinte, aderiu ao social, dentro da mesma Escola Romântica recebendo elogios da crítica ao seu poema “Sorriso de pobre”.  Geraldo publicou vários livros, entre estes “Ramalhetes”, onde ele se expressa através de sonetos e trovas. Nestas habilidades, soneto e trova, Geraldo aparece entre os melhores do Brasil.

De Patativa do Assaré foi amigo e parceiro de pelejas poéticas, além de autor de Ao pé da mesa: motes e glosas (2001), Suspiros do sertão (1982), Clarão da lua cheia (1985), Reflexos (s/d), Atrativos do amor e da paz (2001), Ramalhete (2014). Admirador dos sonetos e da trova tem dois livros de poesia e também outro de poesia campestre (Na Terra dos Passarinhos). Vários cordéis e algumas composições musicais.
Geraldo Goncalves de Alencar é o autor da adaptação de “Grande Sertão Veredas” de Guimarães Rosa em cordel, para a montagem de “O Homem Provisório”. São 120 sonetos belíssimos que o time da Casa Laboratório usou como material de trabalho no Sesc-SP (Paulista) em 2007.
Era sobrinho de Patativa do Assaré e se tornaram grandes parceiros. No ano de 1982 chegaram a publicar o livro (Suspiro do Sertão), apontado por Rosemberg Cariri com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará. Geraldo foi reconhecido como mestre da cultura no ano de 2007 - era poeta, agricultor e aposentado. Foi reconhecido como mestre da cultura no âmbito do Município de Assaré e do Estado do Ceará no ano de 2018. Partiu sem ser diplomado como Tesouro Vivo do Ceará.
http://www.ubuntunoticiasce.com.br/2017/08/ubuntu-noticias-oferecimento.html

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)