domingo, 11 de março de 2018

Série Elas por Elas com Pâmela Soares

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 11 de março de 2018
*Pâmela Cardozo Soares é natural de Nova Olinda-CE, reside em Fortaleza-CE.
*Fotógrafa do Centro Cultural Grande Bom Jardim, graduada em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará/Campus Cariri.

Entrevista
Ubuntu Notícias - Dentro do contexto atual, na sua opinião, quais as principais conquistas alcançadas pelas mulheres?
Pâmela Soares - É emancipador, hoje em dia, ver mulheres ocupando os mais variados espaços sociais, políticos e acadêmicos. No entanto, é assustador ver o quanto essa onda conservadora que tem se levantado no nosso país mexe com as estruturas e com os espaços tardiamente ocupados por nós, haja vista o que fizeram com a ex-presidenta Dilma, por exemplo. É sempre tempo de resistência. É sempre tempo de luta. Seguimos pelo nosso direito à liberdade, à independência e à emancipação!

Ubuntu Notícias - E você, qual sua principal conquista enquanto mulher?
Pâmela Soares - Eu acho que a minha maior conquista é o meu modo de vida, o que eu escolhi pra mim. Eu vivo meio que aquele sonho nordestino, de sair do interior para a capital em busca de trabalho. Eu vim mesmo para isso: trabalhar. Há quatro anos, vivo em Fortaleza e tenho trabalhado com jornalismo e fotografia. Há sempre os perrengues e dificuldades, mas tenho entendido que acreditar é fundamental. Estar como Fotógrafa do CCBJ hoje, é uma experiência incrível, pois sei que foi uma porta aberta através de determinação e trabalho. Minha revolução é diária, nesse existir em um lugar que não é meu. Apesar de não me sentir pertencer, já me vejo estabelecendo vínculos, com as pessoas e com a cidade.

Ubuntu Notícias - Em pleno século XXI, quais situações ainda são enfrentadas pelas mulheres? Seja na questão de gênero, na falta de políticas públicas e/ou no contexto socioeconômico.
Pâmela Soares - Temos pouquíssima representação política e isso é muito ruim. Além disso, algo que está entranhado na vida da gente é esse sistema patriarcal que ainda rege as relações. Hoje pode ser mais sútil, mas ainda somos julgadas se só pensarmos em trabalhar, se não quisermos ser mães ou até mesmo se separamos após uma relação não dar certo. Existe e resiste esse padrão ao qual temos que corresponder.

Ubuntu Notícias - E como a Educação pode ser usada como uma “arma” no combate a estas situações?
Pâmela Soares - Penso que a educação é a saída, sabe? É o melhor caminho para descobrir potências em nós mesmos. Estar na universidade, foi transformador para mim. Percebi o quanto podia ir além e tive possibilidade de crescer, amadurecer. Entendi que tinha voz, que podia falar, e não só onde cresci, mas muito mais além. Acredito que a Educação, para nós mulheres, é mais que tudo: emancipadora.

Ubuntu Notícias - Deixe-nos uma mensagem neste Dia Internacional da Mulher.
Pâmela Soares - Espero que cada vez mais consigamos nos fortalecer e existir umas pelas outras. Já nos invisibilizam demais. Espero ver um mundo onde tenhamos mais suporte ao invés de pressão para realizar nossas escolhas. Menos olhares que massacram nossos corpos. Espero ver um mundo onde possamos existir sem sermos mortas ou violentadas porque não desejamos mais estar em uma relação. Que tenhamos liberdade sobre nosso corpo, nossas escolhas e nossos afetos. Uma mulher existir de outras formas que não sejam o padrão, nessa sociedade, é revolucionário!
http://www.ubuntunoticiasce.com.br/2017/08/ubuntu-noticias-oferecimento.html

6 comentários:

  1. Eu achei legal a parte em que ela diz que tinha o sonho de sair do interior para morar na capital , pois muitas pessoas que moram no interior não tem acesso a uma faculdade e precisam se deslocar para outro lugar ou pelo modo de não ter outra opção ou porque querem conhecer um lugar novo.Gostaria de saber como foi o processo de adaptação , pois Fortaleza é uma cidade muito maior do que Nova Olinda e com um fluxo muito mais de pessoas.

    ResponderExcluir
  2. foi uma entrevista ótima pois além de falar sobre o feminismo, um tema muito abordado na sociedade, ela nos motiva para nao desistirmos dos nossos sonhos.
    parabéns Pâmela e ao Ubuntu Noticias por nos mostrar historias motivadoras como essa.

    ResponderExcluir
  3. bem interessante a forma que ela mostra a realização de seus sonhos

    ResponderExcluir
  4. A mulher não é uma massinha de modelar que a sociedade pode mudar de acordo com seu padrão social, a mulher é um ser independente que tem direito igual a de qualquer pessoa. Mulher é um ser forte não invulnerável, é um ser inteligente não burra. A mulher merece o seu devido respeito diante da sociedade e de todos que a constituem.
    Em uma frase ela relata que a mulher existe de outras formas" Uma mulher existe de outras formas que não sejam o padrão"

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)