quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Memórias: Infância!!!

“Recordar é viver
E viver é recordar”
Quem dera que a saudade não fosse abstrata? Ah se não fosse! Iria congelar vários momentos e vez por outra iria visitá-los! Infelizmente até o que é físico se rende ao tempo: a árvore que brincávamos quando éramos crianças, a casa de nossos avós e até mesmo aquela sensação boa do cheirinho de nossa comida preferida exalando na cozinha.

Como nossa vida é fugaz! E os momentos parecem diluir-se diante de nossos olhos! Nostalgia! Talvez um pouco de nostalgia! Mas, foram as cicatrizes nas pernas que me ensinaram o quanto eu era forte e podia explorar muitos caminhos.

E quando corria sem rumo nem imaginava a quantidade de escolhas que teria a fazer ao longo da vida. Ora, nem todo caminho serve! E uma das coisas que permeia e afaga a minha alma é lembrar do cheirinho de café adoçado com toda ternura pela minha avó.

Manhã de orvalho, as flores do jenipapeiro que parecem pequeninos copos amarelos! E os cabelos coloridos das bonecas de milho era um convite ao exercício de cabeleireiro.

É hora de colocar um ponto final. Mas, antes quero dizer que no baú da memória posso guardar essas recordações e o tempo não vai tirar isso de mim. Mesmo com cabelos grisalhos quero dizer que a qualquer momento vai sair uma criança correndo de dentro de mim. E onde irão me encontrar? Talvez quando visitarem minhas memórias!

Lucélia Muniz – 20/10/2017

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)