sábado, 3 de outubro de 2015

Componentes do Projeto Redes de Blogs da EEFM Padre Luís Filgueiras participam de aula de campo na Fundação Casa Grande

O objetivo da referida aula de campo foi conhecer o Projeto ENCANTADOS: Visitas Arte Educativas desenvolvido pela Fundação Casa de Nova Olinda
Na quinta-feira, 1º de Outubro, tivemos a oportunidade de participar de uma aula de campo na Fundação Casa Grande e nos encantar com os “encantados”. Uma visita feita a partir de muita interação com os visitantes, passando da história do surgimento da Casa Grande, as lendas, achados arqueológicos, pinturas rupestres, pintura corporal, educação patrimonial e a apresentação do grupo dos meninos da Casa Grande – A Banda.
“A Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri é a guardiã da ancestralidade e essência do povo Kariri, que marcaram as rochas e o tempo, hoje reunidas em patrimônio e memória. Aos seus 23 anos de história, a Casa Grande proporciona novas vivências com Visitas Arte Educativas no Memorial do Homem Kariri, promovendo o patrimônio cultural brasileiro, com o patrocínio da CAIXA e do Governo Federal.”
O Visitas Arte Educativas acontece numa parceria dos meninos e meninas da Casa Grande juntamente com a Cia Carroça de Mamulengos.
Ao adentrar a Casa fomos recebidos por “Pedro perna de pau” e “Alícia perna de pau”, logo na recepção na sala do Sagrado Coração de Jesus, Santos e enfeites bem característicos de uma casa do sertão. Nesta sala podemos observar algumas imagens que vai desde a Casa Grande em ruínas até sua restauração. Ao centro da sala uma imagem de um índio feita em madeira que é denominada pelos meninos de Kariuzinho que seria o guardião da Casa. Neste momento também fomos recepcionados por músicas executadas em coral pelos meninos e meninas da Casa Grande e componentes da Cia Carroça de Mamulengos.
Em seguida conhecemos a sala de etnias, onde era o quarto do Senhor Miguel Lima e se pode observar um artefato ritualístico e imagens de crianças com traços indígenas que remetem às nossas origens.
No próprio corredor da Casa onde estávamos sendo guiados por Pedro e Alícia nos deparamos com o Mapa Antropológico da nossa região.
Na sequência, a sala de jantar da Casa, onde se retrata através de imagens e tirinhas os mitos e as lendas locais. Aqui as crianças encenaram uma das lendas sobre uma das personagens mitológicas mais conhecidas, a Mãe D’água (lenda da princesa indígena Maara). Também nesta sala é possível observar no expositor igaçabas (urnas funerárias).
Onde foi o quarto de Dona Santana na Casa, podemos observar fotografias que mostram locais com pinturas rupestres e de qual material os indígenas faziam uso para extrair a tinta usada nas mesmas.
No cômodo da Casa onde era o quarto de Pequena uma exposição sobre arte em cerâmica. Cachimbos e potes compõem a exposição feita a partir de achados na região.
Por fim no local onde era a Escolinha de Nieta a representação da arte lítica representada nos expositores pelas machadinhas de pedra polida.
Logo após a visita a Casa, tivemos a oportunidade de passar por uma Oficina de pintura corporal, assim como nossos ancestrais indígenas nos deixamos pintar a face e os braços, lembrando da importância e significado desta arte para o nosso povo.
Adiante no parquinho da Fundação foi demarcado um local para se trabalhar educação patrimonial. Recebemos a orientação de João Paulo que nos explicou fazendo uma simulação do que chamou de sondagem de como são realizadas as escavações na busca por material cerâmico ou lítico e dos cuidados relacionados a preservação destes achados arqueológicos. Ainda fez uma reflexão de como a nossa cultura evoluiu ao longo do tempo e de como estes achados podem nos auxiliar na compreensão deste processo. A exemplo do conhecimento relacionado às nossas vestimentas, músicas, artesanato, pinturas, alimentação e até mesmo da preservação da Natureza.
Finalizamos a visita no Teatro Violeta Arraes ouvindo as músicas do Grupo – A Banda – formado pelos meninos da Casa Grande.
Foi uma tarde de muito aprendizado e reflexão de como nossa história e a nossa cultura precisa estar viva dentro de nós – resgatando a memória de nosso povo!
Profª Lucélia Muniz.

Conheça a página do Projeto ENCANTADOS: Visitas Arte Educativas

4 comentários:

  1. Olá Lucélia passando para retribuir a visita, Muito bonito o projeto! Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei encantada com o projeto! Vocês são o nosso Brasil!!!
    Beijo e saúde para todos.

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)