terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Artista Plástico - Thiago Lima


Thiago Lima Cordeiro, nasceu no dia 26 de Junho de 1999 em Crato-CE. Filho de Erisvam Santana Cordeiro e Rozineide Leite Lima Cordeiro, irmão de Thiarley Melquiades. Reside no Sítio Olho D'água em Nova Olinda-CE, começou seus estudos na Escolinha Laurênio Alves Feitosa e no CEB – Centro de Educação Básica. Cursou o Ensino Fundamental na EEF Avelino Feitosa. Iniciou o Ensino Médio na EEFM Padre Luís Filgueiras, foi aprovado em 4º lugar para o Curso Técnico em Edificações e passou a estudar na EEEP Wellington Belém de Figueiredo.
Thiago tem a capacidade de pôr em prática uma ideia, valendo-se da faculdade de dominar a matéria entalhando a madeira, modelando o barro, cinzelando a pedra ou mármore, fundindo o metal, afim de representar em relevo, ou em três dimensões, estátuas, figuras, formas abstratas etc. E nessa capacidade criadora ele expressa e transmite sentimentos.
Thiago exerce por conta própria uma arte, um ofício manual. Desde pequeno confeccionava seus próprios brinquedos. Esfarinhando a argila por entre os dedos, na Cerâmica CENOLINDA, o que chamava a atenção de alguns funcionários, escolhia a matéria-prima excelente para a produção de aves diversas, seres inanimados e folclóricos, animais domésticos, selvagens e pré-históricos - os dinossauros. Iniciou seus estudos aos 03 anos de idade e se destacava na precisão dos desenhos e transformação da massa de modelar em objetos diversos.
REALIZAÇÃO PESSOAL
Quando transformou um pedacinho de raiz de cajá em um robozinho. Ficou super feliz ao descobrir que também tinha habilidades para esculpir a madeira. “Fiz uma coisa que gostei de fazer”. Hoje, é a arte que mais aprecia.
Thiago tem a arte e a técnica de representar com lápis, pincel etc, e faz caricaturas; desenho que, pelo traço, pela escolha de detalhes, acentua ou revela certos aspectos caricatos da pessoa ou foto. Desenhou a capa dos cordéis CORAÇÃO PARTIDO de Osvaldo Silva e PONTO SEM NÓ de Armando Araújo e fez a caricatura do poeta da roça.

As abelhas enquanto trabalham zumbem. As formigas assim como os poetas, os escultores, os desenhistas trabalham em silêncio. Alda Cordeiro.

Um comentário:

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)