domingo, 14 de junho de 2020

Poesia “Mulher do Lar” de autoria da Professora Valdenia Belizario

Lucélia Muniz
Ubuntu Notícias, 14 de junho de 2020
Por Francisca Valdenia Martins Belizario Lima  - Professora da Escola Padre Cristiano Coelho com  graduação em Pedagogia
Não existe limites
Para a mulher do lar
Veja o que ela faz
Quando decide faxinar
Começa com um café
E tudo fica de pé
Com tanto para cuidar.

Já que é dia de faxina
Não tem do que reclamar
Começa pelo terreiro
Que dá gosto de olhar
As calçadas ficam um brinco
As panelas já tinindo
E o chão de espelhar.

O vinho sobre a mesa
O som tá de ecoar
A cada limpa de móvel
Um gole pra celebrar
A cantiga no gogó
Ecoa sem dá um nó
É festa neste lugar.

Ela canta, até rebola
De longe dá pra escutar
Ali, ela anuncia
Que estar a faxinar
E com amor vai zelando
Sua casa arrumando
O seu "templo" de morar.

A panela já no fogo
Avisa que vai chegar
Uma comida caprichosa
Na hora de almoçar
Mais que mulher arretada
Faz tudo sem cobrar nada
E ainda consegue sonhar.

E depois de tudo isso
Vem a louça pra lavar
Ainda sai cantarolando
Pondo tudo em seu lugar
E quando tudo tá feito
Começa um outro jeito
Da beleza realçar.

Pois ela toma seu banho
E começa a se arrumar
E fica toda cheirosa
Que faz gente suspirar
É, que a sua beleza
É obra da natureza
Essa é a mulher do lar.

Ah! Mulher surpreendentemente!
É essa mulher do lar!
Sabe tudo que precisa
Corre atrás do que faltar
A sua casa faxina
A sua família ensina
E tem tempo pra amar.
Um brinde  a mulher do lar.

Um comentário:

Deixe seu comentário logo abaixo! Sua interação é muito importante!