sábado, 17 de setembro de 2016

Nova Olinda-CE: meu chão cearense!

PERFIL BÁSICO MUNICIPAL
Características
Município de Origem – Santana do Cariri;
Ano de Criação – 1957;
Lei de Criação – 3.555;
Toponímia - Homenagem à cidade pernambucana de Olinda;
Gentílico – nova-olindense;
Código do Município – 2309201;
Área da unidade territorial em Km² = 282,584.
Norte - Farias Brito e Altaneira;
Sul - Santana do Cariri;
Leste – Crato e Farias Brito;
Oeste - Santana do Cariri.
Rio Cariús com nascente em Santana do Cariri

Festas típicas do município
Quadrilha Junina 
Pau da bandeira de São Sebastião
Padroeiro: São Sebastião
Para saber mais informações sobre a nossa Paróquia clique AQUI.
Distritos (1) – Triunfo
Regionalização
Região administrativa – 18;
Macrorregião de planejamento - Cariri Centro-Sul;
Mesorregião - Sul Cearense;
Microrregião – Cariri.

DEMOGRAFIA 
População estimada em 2020 = 15.684 habitantes.

Prefeitura
Endereço:
Avenida Perimetral Sul, S/N – Centro
CEP: 63.165-000
Nova Olinda-CE
Telefone:
(88) 3546 1489

Origem do povo nova-olindense: Livro “Kariu – A Cultura de um Povo Guerreiro”

“Existe, porém entre estas entranhas desse torrão, uma memória daquela comunidade primitiva, nascida na mata, cuja origem se perde na história e avança na essência de todo nova-olindense (...)”. [Trecho do Livro “Kariu – A Cultura de um Povo Guerreiro”]  

Livro “Kariu – A Cultura de um Povo Guerreiro” publicado no ano de 2010 – uma obra de autoria de Angelina Umbelina da Silva, nossa Mestra Angelina, e de Antony Frank Alves Nunes - Organizada em 152 páginas, que resultou num registro histórico de nosso município, Nova Olinda-CE. Como diz no prefácio da obra – “A história das expressões culturais nova-olindenses como herança da arte e dos costumes das tribos que dominavam essas terras”.

“A aldeia que hoje é a cidade de Nova Olinda era chamada de aldeia da água saída do mato, referindo-se às fontes de água natural que jorravam a partir da Serra do Zabelê e se estendiam até a entrada da cidade, passando pela gruta da mãe d’água indo em direção ao Rio Cariús”. [trecho do livro, pág. 28]

Em outro trecho do livro, pág. 49, faz-se um relato histórico cultural tendo o seguinte enfoque:

“Entre Nova Olinda e Santana existe a maior reserva de fosseis do período cretáceo, com fosseis de até 150 milhões de anos. Esse local abrigou a tribo Kariri Kariú, sendo possivelmente o primeiro registro da ocupação organizada no local que hoje conhecemos como município de Nova Olinda no Estado do Ceará (...)”.

“(...) de uma forma humilde e despudorada de ciência, a história de Nova Olinda era transmitida aos seus descendentes, dos primeiros moradores da cidade com registro de nascimento em 1913 até os dias atuais. Conhecimentos guardados na memória daqueles que a viram crescer para o que é hoje”. [trecho do livro, pág. 53]

Conhecer a nossa origem, conforme as observações dos autores da obra, foi desempenhar esforços tendo como ponto de partida as crenças e a religiosidade, principalmente as transmitidas pelos índios que habitaram o nosso município antes do mesmo se tornar a chamada Tapera da água saída do mato.

Uma história que sobreviveu pela oralidade do nosso povo, sendo transmitida de geração a geração. A construção desta obra foi pautada no depoimento de 360 entrevistados, coletados no ano de 2006, registrados em vídeo, e ao longo da pesquisa também foi elaborado o mapa cultural de nosso município. 

O SURGIMENTO DO MUNICÍPIO DE NOVA OLINDA


No dia 03 de outubro de 1951, com o assassinato do Capitão Plácido Gomes Sá, prefeito de Santana do Cariri, na saída, do Crato Hotel (em Crato), veio a assumir a prefeitura o então Vice-Prefeito Cicinato Furtado Leite, cumprindo o restante do mandato até 1955. Nessa época, o município de Santana do Cariri vivia um cenário político conturbado no destino sucessório do executivo municipal. Então, os irmãos Cicinato Furtado Leite e Jorge Furtado Leite, vem ao Distrito de Nova Olinda convidar Antonio Jeremias Pereira, já reeleito vereador em seu segundo mandato (1947-1951 e 1951-1955) para lançar sua candidatura a prefeito de Santana do Cariri, por representar um consenso de paz na política local. Antonio Jeremias Pereira aceita o convite com o acordo de emancipar o distrito de Nova Olinda a condição de cidade. Eleito prefeito de Santana do Cariri, para o mandato na gestão de 1955 a 1959, Antonio Jeremias Pereira inicia os procedimentos plebiscitários no distrito de Nova Olinda para a emancipação, tendo os Furtado Leite como principais apoiadores e no dia 14 de Abril de 1957 Nova Olinda se torna município, vindo a ter seu primeiro prefeito em 1958.

Prefeitos de 1957 a 2024 e seus respectivos pleitos
Laurênio Feitosa (1959-1963)
Antonio Jeremias Pereira (1963-1967)
Laurênio Feitosa (1967-1971)
Miguel Lima (1971-1973)
José Alves de Lima (Eluzio) (1973-1977)
Antonio Jeremias Pereira (1977-1983)
José Alves de Lima (Eluzio) (1983-1988)
José Alencar Alves (1989-1992)
Maria de Fátima Milfont (1993-1996)
Fábia Brito Alencar (1997-2004)
 Afonso Sampaio (2005-2012)
Francisco Ronaldo Sampaio(2013-2016)
 Elizio Manoel Galdino (Cabeludo) (2016)
Afonso Domingos Sampaio
(de janeiro/2017 a 15 de fevereiro de 2019)
Ítalo Brito Alencar
(de 15 de fevereiro de 2019 a 12 de março de 2019)
Afonso Domingos Sampaio
(de 12 de março de 2019 a 30 de maio de 2019)
Ítalo Brito Alencar
(de 30 de maio de 2019 a dezembro/2020)
HISTÓRICO
O município de Nova Olinda está situado na área de maior concentração mundial de fósseis do período Cretáceo e conta também com abundantes reservas de gipsita e calcário laminado também conhecidos como pedra cariri. Desmembrado do município de Santana do Cariri em 1957, recebeu este nome em homenagem à cidade pernambucana de Olinda.  

A região do Cariri é considerada um oásis no estado do Ceará e faz parte da Chapada do Araripe. O relevo montanhoso, a vegetação abundante e as inúmeras nascentes garantem um clima ameno em pleno semiárido do sertão. Com uma população de 15.684 habitantes, de acordo com estimativa do IBGE para o ano 2020, está inserida na Área de Proteção do Araripe (APA) e no Geopark Araripe. 
Por essa razão vive um dilema socioeconômico ambiental, o de usufruir das riquezas minerais da gipsita, calcário laminado e argila cerâmica para gerar renda a população e o de preservar os fósseis encontrados nas frentes de lavras de gipsita e calcário e a preservação ambiental da fauna e flora. Além disso, resiste uma agricultura de subsistência e uma pecuária de leite e corte que abastece a população local.

O município, que antes era ponto de passagem para Assaré, por causa de Patativa, e para Santana do Cariri, devido ao Museu de Paleontologia foi incluída pelo Ministério do Turismo entre os 65 destinos indutores do turismo no Brasil em função de sua projeção nacional por meio da Fundação Casa Grande Memorial do Homem do Cariri. Além da Fundação no município se estuda arqueologia e se procura resgatar e preservar o misticismo e o folclore. 

Os atrativos turísticos, por sua vez, também criam possibilidades para a revitalização da identidade cultural, a preservação de patrimônios, bens culturais, tradições e costumes da população local que estimulem assim a participação da comunidade no desenvolvimento da atividade turística e consequentemente da sociedade. Em suma, as atividades turísticas geram mecanismos de sustentabilidade e espaços propícios às expressões culturais.

Município indutor do Turismo Nacional
Nova Olinda apresenta um rico potencial turístico e cultural que podem ser apreciados por nossos munícipes e visitantes. No Ceará estamos entre uma das quatro cidades indutoras: Nova Olinda, Aracati, Fortaleza e Jijoca de Jericoacoara.
TEATRO VIOLETA ARRAES – ENGENHO DE ARTES CÊNICAS
Construído e inaugurado em 19 de Dezembro de 2002 pelo Governo do Estado do Ceará na gestão do Governador Tasso Ribeiro Jereissati, foi um presente para a meninada do sertão. Seu nome homenageia a sertaneja Violeta Arraes Gervaseau e o conjunto arquitetônico dos engenhos de rapadura da região do Cariri, berço cultural do Ceará. Seu projeto arquitetônico é de Maria Eliza Costa. O Teatro Violeta Arraes – Engenho de Artes Cênicas é um espaço para formação de plateia e gestores culturais nas áreas de direção de espetáculos, sonoplastia, iluminação, cenário e roadie. Com uma programação aberta ao público, este espaço exibe semanalmente espetáculos nas áreas de música, dança, cineclube e teatro.

MEMORIAL ESPEDITO SELEIRO/MUSEU DO CICLO DO COURO
O Memorial/Museu fica localizado em Nova Olinda-CE e foi inaugurado no dia 19 de dezembro de 2014 como se diz na placa “às margens do caminho das boiadas”. É um Projeto da Fundação Casa Grande, com a Realização da Associação Espedito Seleiro e com as Parcerias do SESC, do GeoPark Araripe e da Global Geoparks Network. Este espaço tem como acervo peças que remontam a história do ciclo do couro bem como a história de vida do Mestre Espedito Seleiro – Artesão nova-olindense. 
MESTRE ESPEDITO SELEIRO
O Mestre Espedito Seleiro é considerado ícone do artesanato em couro e seus produtos são reconhecidos no mercado nacional e internacional. Em 1992, com a restauração da Casa Grande de Nova Olinda e a vinda de turistas para a cidade, Espedito Seleiro transformou seu ofício em obra de arte ao unir o design do vaqueiro ao do cangaço, ganhando assim o reconhecimento das passarelas da moda brasileira.
CENTRO DE ARTESANATO MESTRA ANTONIA DO Ó
Espaço cultural destinado à venda de artesanato, fomentando e difundindo nossa arte e cultura local. Contém box distribuídos aos artesãos, onde divulgam seus trabalhos desenvolvidos em: couro, pedra cariri, pinturas em tela, vidro, bordado, crochê e marca.
ARTESÃO JOSÉ FELIPE (In Memoriam)
A Pedra Cariri é um dos principais recursos naturais de nosso município e também fonte de renda para muitas famílias que aqui residem. Trata-se do calcário que dá forma a muitos trabalhos desenvolvidos aqui em Nova Olinda – desde peças que compõe a arquitetura de casas ao artesanato. Há casas inteiras construídas com estas pedras, que movem boa parte da economia do Cariri Oeste, especialmente nas cidades de Santana do Cariri e Nova Olinda. Depois de polida, esta pedra, dá forma a muitas peças artesanais interessantes.

Ainda criança, Angelina, participava de grupos folclóricos e diz que aprendeu mesmo foi brincando. Desde 1998 coordena grupos de reisado em nosso município. Nova-olindense, atualmente, a Mestra Angelina, coordena o grupo de dança folclórica Reisado de Angelina em nosso município Nova Olinda-CE. 
 
FUNDAÇÃO CASA GRANDE
A Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri é uma organização não-governamental, cultural e filantrópica criada em 1992. Tem como missão a formação educacional de crianças e jovens protagonistas em gestão cultural por meio de seus programas: Memória, Comunicação, Artes e Turismo.
INSTITUTO DE ARQUEOLOGIA DO CARIRI Drª Rosiane Limaverde
É um órgão da Universidade Regional do Cariri, URCA, ligado ao Gabinete da Reitoria, a Pró-reitoria de Extensão, ao Geopark Araripe em parceria com a Fundação Casa Grande-Memorial do Homem Kariri, criado sob a perspectiva de colaborar com a promoção e divulgação de ações conjuntas de Pesquisa, Extensão, Proteção e Conservação do Patrimônio Arqueológico, Meio Ambiente, Cultura, Geoturismo e Geoeducação, congregando pesquisadores de todas as áreas do conhecimento em Ensino, Pesquisa e Extensão para atuação no campo da Arqueologia.
MUSEU CASA DE ANTONIO JEREMIAS PEREIRA 
O museu aborda a história política da criação do município de Nova Olinda e de seu criador e funciona na restaurada casa onde viveu Antonio Jeremias Pereira. O museu se configura como um Ponto de Memória da rede de Eco-Museus da Chapada do Araripe, da Fundação Casa Grande, integrando o circuito de Turismo Comunitário da Região do Cariri, em parceria com o MINC, IBRAM, SESC e Geopark Araripe.  A casa foi construída em 18 de janeiro de 1956, restaurada e musealizada em 21 de abril de 2017. É um museu orgânico sendo dividido em três cômodos da casa que retratam a família Jeremias, a emancipação política de Nova Olinda e o seu fundador e a vida de Antonio Jeremias Pereira. Tudo foi pensado desde o piso e seus detalhes, as cores originais da casa e sua fachada. 
Museu Orgânico: Casa Oficina de Dona Dinha

O Museu Casa Oficina de Dona Dinha foi inaugurado no dia 09 de agosto de 2019 no Bairro Vila Alta em Nova Olinda-CE e figura como o terceiro museu orgânico de nosso município. Raimunda Ana da Silva, conhecida como Dona Dinha, nasceu em 12 de dezembro de 1950 no Bairro Vila Alta em Nova Olinda-CE. Filha do casal Luís Liberalino da Silva e Ana Antonia de Oliveira, Dinha é a quinta filha de uma família com nove filhos. Com 12 anos de idade, aprendeu a tecer no tear manual observando a irmã mais velha. Enquanto seus irmãos trabalhavam na lida da roça, com o pai, as filhas aprendiam a tecer redes com a mãe que costurava os tecidos e finalizava as encomendas. Aos 18 anos de idade montou seu próprio tear no terreiro da casa de sua mãe e continuou urdindo e tecendo redes. Aos 35 anos de idade casou-se com Seu Gabriel, levando seu tear a nova morada do casal. Dona Dinha é a herdeira de uma atividade artesanal familiar e mantém viva essa tradição tão valorosa.
PEDRA DA CORUJA (LENDA)
Os índios Kariris acreditavam que duas pedras que existem no sítio Olho D’água de Santa Bárbara, eram duas enormes corujas encantadas e eram adoradas como deusas.
PONTE DE PEDRA
Corresponde a uma forma geológica que foi esculpida pelo efeito da erosão provocada pela água ao longo de milhões de anos. No passado, essa ponte foi usada como caminho pelos índios Kariri para ter acesso a uma fonte de água cristalina.
AGROFLORESTA
Seu Zé Artur relata, que a diversidade e a prática do manejo permitem ter produtos variados na sua propriedade no decorrer do ano. Ao podar a vegetação, deixa sob o solo para que sirva de adubo, preservando o meio ambiente.
MÃE D’ÁGUA (LENDA)
A mãe D’água poço natural do riacho que deságua no rio Cariús, situado no Sítio Patos; sua fama é atrelada à lenda de Maara, uma serpente com rosto de mulher que seduz os homens que escutam o seu canto.

HOMENAGEM – LIDERANÇA COMUNITÁRIA

Givaldo Ferraz Bezerra (In Memoriam)

Enquanto líder comunitário assumiu a Associação de Trabalhadores Rurais do Sítio Serrinha, no Município de Nova Olinda-CE, onde permaneceu de 2001 até o ano de 2013. A postura de líder comunitário sempre foi embasada na busca constante em ajudar as pessoas, dando-lhes mais qualidade de vida. Foi um dos sócios fundadores do Instituto do Desenvolvimento Socioambiental Sustentável – IDSS, no ano de 2005, permanecendo até os últimos dias de vida. Nesta instituição teve notória dedicação e atuação, encabeçando vários projetos. Dedicando-se ao mesmo tempo a FECONO – Federação das Entidades Comunitárias de Nova Olinda-CE, como membro. Deixou um legado de ensinamentos voltados para a solidariedade e ações de um líder comunitário preocupado com o bem-estar coletivo.

HOMENAGEM – HISTÓRIA DE NOVA OLINDA

MARIA FEITOSA DE ALENCAR PORFIRIO (Dona Marilia)

Desde cedo, Marilia demonstrava uma personalidade forte e marcante no seu objetivo de vida onde sempre foi notável seu protagonismo, liderança e amor por Nova Olinda. Podemos ainda, considerá-la um patrimônio vivo de fatos históricos, políticos, sociais, comunitários e religiosos do seu povo, sendo considerada por várias décadas uma dama de ferro por estar sempre ativa e empenhada no progresso de Nova Olinda.  

HOMENAGEM – EDUCAÇÃO
A Professora e Artesã Maria Constância da França Muniz (In Memoriam)
Figura na Galeria dos Patronos da Academia de Letras do Brasil/Seccional Regional Araripe-CE como Patrona da Cadeira 35 ocupada pela acadêmica Lucélia Muniz da França, sua filha. Dá nome a comenda oriunda do Projeto de Lei 09/2019 - Comenda Professora Maria Constância da França Muniz - de autoria da Vereadora Lourdes da Saúde (PRTB) para homenagear professores aposentados de Nova Olinda em vida, dando o devido reconhecimento aos serviços prestados pelos mesmos à Educação do nosso município.

HOMENAGEM – CULTURA (In Memoriam)

ANTONIA TELES BARBOSA (Francy Teles) – Patrona da Cadeira 17 da Academia de Letras do Brasil/Seccional Regional Araripe-CE ocupada pela professora nova-olindense Luciana Muniz da França. “Entre tantos nomes, em pauta, foi fácil perceber as características de solidariedade, empatia, honestidade e integração em todas as áreas percorridas profissionalmente. As contribuições dadas pela patrona, tornam-se evidentes na educação, no funcionalismo público, no meio ambiente, no legislativo, na cultura, na família e entre as pessoas que a conhecera”, escreveu a Professora Luciana França. 

HOMENAGEM – EDUCAÇÃO

A Senhora Vicência Pereira de Lima Alencar1ª Diretora Escolar da EEM Padre Luís Filgueiras.

HOMENAGEM – EDUCAÇÃO
Ao Senhor Wellington Belém de Figueiredo (In Memoriam) – nome da Escola Estadual de Educação Profissional localizada em Nova Olinda. Um consórcio entre os municípios de Altaneira-Nova Olinda-Santana do Cariri.

HOMENAGEM - RELIGIOSO (In Memoriam)
Zé de Eloia, pessoa marcante em nossa comunidade. Cremos que ele está entoando louvores a Deus na Corte Celeste. Somos gratos a Deus pelo seu testemunho de vida e de doação a Igreja de Cristo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. (2 Timóteo 4:7). Paróquia de São Sebastião/Nova Olinda-CE.
HINO DO MUNICÍPIO
Raimundo Gilvan Duarte
Com seu povo de eterna nobreza
Na luta imensa feliz p´ro porvir
Minha terra se ergue altaneira
És Nova Olinda o esplendor do Cariri
Coroada com céu brasileiro
Tapete verde que emana riqueza
São as pastagens que adornam os teus campos
São frutos do sangue dos filhos teus
Nova Olinda meu amor é grande o seu valor
Bravo povo fiel, varonil
Tua pujança, tua glória exprime o meu Cantar!
Teu nome forte, solto aos ventos
Resplandece em todo meu Brasil!
Tua história tão cheia de encanto
Sublime fonte do amor para ti
Em teu solo tuas minas se expandem
Com abundância num convite a construir
Nova Olinda meu chão cearense
Devota e bela, formosa gentil
O Cariús com suas águas benditas
Que brotam, que geram riquezas mil
O progresso que ostentas serena
A prova altiva da luta febril
Juventude no afã do futuro
Na confiança da cultura a transmitir
Eterna gleba de heróis destemidos
Iluminados pelo padroeiro
Jorrando graças e paz nos teus filhos
Oh! Terra querida que Deus me deu!  

CURIOSIDADES!!!
Tem três QUIZ com perguntas de múltiplas escolhas onde você pode testar seus conhecimentos sobre a história de Nova Olinda. Clique logo abaixo para começar: 
QUIZ 1
QUIZ 2
QUIZ 3
 
FONTES
Agência Click;
Angelina Umbelina da Silva e Antony Frank Alves Nunes - Livro "Kariu: A Cultura de um Povo Guerreiro" (2010);
Francy Teles;
Fundação Casa Grande/Memorial do Homem Kariri; 
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE;
Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará-IPECE;
Lucélia Muniz da França. Nova Olinda-CE: meu chão cearense! Ubuntu Notícias;
Luciana Muniz da França
Marília Feitosa;
Museu Casa de Antonio Jeremias Pereira;
Pâmela Soares
Paróquia de São Sebastião/Nova Olinda-CE; 
Rede de Blogs de Nova Olinda-CE;
Secretaria de Cultura e Turismo de Nova Olinda-CE;
TV Assaré Online;
Universidade Regional do Cariri-URCA;
WIKIPÉDIA: A enciclopédia livre.
Informações atualizadas em 13 de abril de 2021.

6 comentários:

  1. Excelente resgate histórico e cultural.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo longe, Imperatriz MA, acompanho os acontecimentos de minha cidade do coração, sai (1968) pra voltar + aínda não deu. Parabéns um ótimo trabalho

    ResponderExcluir
  3. Lucélia Muniz. Estou maravilhado com seu trabalho de pesquisa sobre Nova Olinda. Parabéna a você por propiciar aos nova-olindenses, conhecer mais sua História. Graças ao seu blog Ubuntu Notícias e a matéria, sou mais conhecedor e admirador de NOVA OLINDA.
    Parabéns ao seu povo por mais um data festiva de sua emancipação administrativa e política.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário logo abaixo! Sua interação é muito importante!