sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Terceira Lei de Milton

Estimular nossos filhos, mas sempre respeitando o bom senso. Nos dedicarmos ao trabalho, mas sem esquecer da vida em família. Cumprir com os nossos deveres, mas achar sempre um tempinho para nossos amigos. Cuidar dos nossos pequenos, mas lembrar de nos cuidarmos também. Se fosse para compactar todos os dilemas da minha vida atual em uma palavra, ela seria “equilíbrio”. Já notaram como é desafiador manter as diferentes partes da nossa vida balanceadas?
Eu sou realista e se os anos não me ensinaram como ser boa em tudo, me mostraram que tal façanha é impossível. E que se você quiser de fato ser boa em alguma parte da sua vida, terá que abrir mão de ter sucesso em outra. Quem sabe uma balança desequilibrada, mas com os pesos depositados no lado que você julga certo, seja uma boa alternativa de felicidade e paz de espírito (e não seria uma forma de equilíbrio também?).
Mas como saber onde investir estes “pesos”? Bom, se você descobrir, me conta! Talvez o primeiro passo seja descobrir aquilo que realmente importa na sua vida, de verdade mesmo (não aquilo que você faz para impressionar um parente, um amigo, ou para seguir um script moderno do que é felicidade). Pois se você faz escolhas sinceras, e prioriza aquilo que realmente acredita, o peso das escolhas e dos caminhos que você não tomou vão ficando mais leves.
Este post é dedicado a todas as famílias que batalham diariamente para encontrar equilíbrio. Em especial para aquelas que recentemente perceberam que sua vida não é e nunca será um comercial de margarina. Seja por uma gravidez inesperada, por um casamento que não deu certo ou pela chegada de um filho que exige uma atenção extra. Na vida real, fora do comercial de margarina, moram escolhas difíceis: reformular nossa vida profissional, ou encarar decisões difíceis, como a de não estar tão presente no dia a dia do filho, para poder prover recursos e terapias de qualidade.
Dia desses minha amiga compartilhou uma página do facebook fantástica, que cita “leis de Milton”. Logo me identifiquei com a terceira lei, que veio em um momento perfeito para acalmar meu coração, e me certificar que estou tomando as decisões certas (para mim):
Pois quem precisa de margarina, quando se está ocupado fazendo mel?

0 comentários:

Postar um comentário

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)