sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Olhares por Nívia Uchôa


Quando criança brincava de cinema com meus irmãos, os mesmos faziam cinema em casa com fotos de monóculos, convidavam as crianças da rua, cobravam entrada e exibiam fotos da nossa família projetadas em um lençol na parede.
Quando adolescente observava às pessoas da cidade de Juazeiro do Norte se movimentarem pelas ruas, assim como romeiros e romeiras, isso me chamava a atenção.
Quando fiquei adulta estudava Geografia na URCA e trabalhava em um escritório de contabilidade. Pedi demissão, comprei uma câmera fotográfica e fiz minhas primeiras fotos em 1993.
No ano seguinte fui trabalhar em uma escola conhecida como Escola do Vale, trabalhava na secretaria da escola lançando notas e fazendo folha de pagamento interna. No entanto, essa atividade não me consumia a manhã inteira daí passava o resto das manhãs na biblioteca, sala de vídeo, em uma rádio comunitária clandestina a qual descobrimos como fazia.
Ao mesmo tempo já era fotógrafa e tinha um trabalho autoral em preto e branco. Um belo dia a diretora da escola chamada Célia Morais conversou comigo e me demitiu, silêncio, apreensão e angustia foram as sensações as quais senti naquele instante. Mas, Célia uma pessoa maravilhosa me disse, estou fazendo isso para seu bem, pois você não é para ficar atrás de uma mesa lançando notas de alunos e alunas. Você é fotógrafa e tem que seguir seu caminho, sua arte.
No mesmo instante veio a sensação de felicidade, tranquilidade, sobretudo, liberdade. Esse ano de 2014 comemoro 21 anos de profissão.
Inicialmente meus pais não queriam que eu seguisse a profissão, pois meu pai acreditava que um trabalho tinha que ser de 8 horas por dia. Ser fotógrafa não tem hora nem dia para se trabalhar, além do que ele sempre achava que não dava dinheiro. Quatro anos depois ele me presenteou com uma câmera fotográfica e assim entendi que o mesmo aceitou minha profissão.
O ser humano, a simplicidade que os faz serem seres humanos, a arte em meus trabalhos autorais. A cumplicidade com a fotografia e a eloquência dos instantes fragmentados de luz. Gosto muito de fotografar os quatro elementos, água, terra, fogo e ar, principalmente a água e o ser humano.
Fotografia é sobretudo luz, que se divide em várias outras coisas, como por exemplo: vida, escrita da verdade, realidade, verossimilhança e, vai mais além da fotografia... é alma.
Fotografe e sinta a verdade da sua imagem, ela diz. Não use-a para denegrir nada nem ninguém, usa-a para ajudar algo, alguém ou alguma coisa, principalmente a natureza e o ser humano.
Aurenívia Morais Uchôa - Nívia Uchôa – Natural de Aracati-CE residente em Juazeiro do Norte- CE.

4 comentários:

  1. LUCÉLIA,

    Sou seu mais novo seguidor

    Cheguei até aqui através de amigos comuns.

    Foi muito bom ter encontrado seu blog ao qual voltarei sempre!

    Quanto ao texto eu diria que você saiu casulo da lagarta e metamorfoseou-se na borboleta que agora voa, fotografa,fotografa e você.

    Isso é liberdade e arte não existe sem ela.

    Voe!

    Também, estou lhe convidando para conhecer alguns dos meus blogues cujas temáticas são humor, narrativas de vida e amor.

    Amor que transcende,enaltece, valoriza e encanta a vida de cada um de nós.


    Confira: e ficaria honrado com sua presença e quem sabe seguir-me:

    FALANDO SÉRIO.
    http://ptamburro.blogspot.com.br/

    FRAGMENTOS DO ACASO
    http://paulotamburrosexo.blogspot.com.br


    HUMOR EM TEXTOS
    http://paulotamburro.blogspot.com.br/


    Se quiser conhecer todos os meus blogs, basta clicar, no meu nome, neste comentário, lá em cima ao lado da chave que espero lhe abra todas as portas.

    Um abração carioca

    ResponderExcluir
  2. Seguindo teu Blog - FALANDO SÉRIO - Agradecida por está seguindo meu Blog também! Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Adimirei suas fotos Nívia Uchoâ,principalmente quando duas das suas fotos retrata alguns marcos históricos da Região do Cariri, sendo elas , a foto de uma fruta típica da região o Piqui, um marco do turismo religioso a estátua do Padre Cicero.

    ResponderExcluir
  4. Nívia,
    Agradeço por ter aceitado o convite para participar da Série Olhares! Muito obrigada por sua contribuição e também pela história de vida emocionante!

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)