sábado, 11 de agosto de 2012

Trabalhando Jogos Antigos em Sala de Aula – Pentaminós


Trabalhei com meus alunos do Ensino Médio, turmas de 1º e 2º Ano a montagem do Jogo dos pentaminós.
Primeiro falei sobre a origem do Jogo e da explicação dada para as 12 peças que o compõe. Apesar de ser possível trabalhar várias resoluções de problemas, optei pela montagem de um retângulo.
Assim, o desafio seria utilizar todas as peças na montagem de um retângulo. Hora de utilizar estratégias de como memorizar a posição de cada peça! 
Distribui a xérox do desenho das peças, colamos em uma cartolina e em seguida recortamos. 
Ao colar as peças sobre a cartolina melhoramos a textura para poder manusear as peças na hora de formar o retângulo.  

Explicando o Jogo:
Pentaminós   
Os pentaminós pertencem a classe dos "poliminós", assim como o conhecidíssimo dominó. O termo "poliminó" teria sido proposto por Solomon W. Golomb, matemático chefe do Laboratório de Jato Propulsão do Instituto de Tecnologia da Califórnia, no ano de 1954.
Atentando para a forma, só existe um único tipo de dominó (dois "cubos" ou "quadrados" unidos por um dos lados). Se há um único tipo de dominó, existem dois tipos de triminós e cinco tipos de tetraminós. Já com os pentaminós o número pula a doze.
A proposta do pentaminós é a seguinte: cada peça é formada por 5 cubos, unidos pelos lados. O total são 12 peças diferentes, que permitem a criação de inúmeros problemas e suas soluções.
Para melhor entendimento, costuma-se nomear as peças pelas letras do alfabeto com as quais elas se parecem.
É importante esclarecer que, para solução dos problemas, as peças podem ser giradas em todos os sentidos.
Os problemas resumem-se na construção de formas geométricas, com a utilização de algumas ou todas as peças do jogo. Um problema interessante é o de se selecionar uma das peças, e com as demais (não há necessidade de se utilizar de todas) e reproduzi-la em escala maior.

Um comentário:

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)