sábado, 19 de setembro de 2009

Minha Alma



No íntimo do meu interior,
Na nudez de minha alma,
Sinto um mundo multicor.
A cor da dança e da poesia,
O ritmo que toca as cordas
do meu coração!
A voz da multidão!
Um semblante de paz.
Fim da fome,
Da miséria do mundo.
Brincadeiras de criança!
Um gole de felicidade,
Jeito de ser feliz
Dentro de tantas cores.
As cores da vida,
O baile da amizade:
DA MINHA COR,
DA TUA COR,
DA NOSSA COR.
Sem preconceitos,
Sem dor,
Uma tela multicor!
E, quando externalizo meus sentimentos,
Quando defronto com a crua realidade,
me recolho ou luto
para conservar meu ser, minha alma!
SEM ME CORROMPER ...

Lucélia Muniz da França

4 comentários:

  1. QUE PROFUNDO!
    Gostei moito da forma com que vc usou as palavras!

    ResponderExcluir
  2. Esta poesia também está disponível no endereço:
    http://afrocorporeidade.blogspot.com/2010/04/minha-alma-poema-enviado-pela-poetisa.html

    (Blog Afro Corporeidade)

    ResponderExcluir
  3. Um lugar especial dentro de cada um de nós
    Um lugar pra se esconder de tudo e depois voltar como se nada tivesse acontecido.
    Parabéns pelo texto e pelo blog!

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Pablo por visitar meu Blog e deixar seu comentário!!! Grande Abraço!!!

    ResponderExcluir

Grata pelo comentário! Volte sempre! :)